Título: Crachá avalia riscos de exposição ao sol
Autor: Cristina Amorim
Fonte: O Estado de São Paulo, 02/02/2005, Vida &, p. A11

O Laboratório de Nanodispositivos Fotônicos da Universidade Federal de Pernambuco (Ufpe) desenvolveu uma molécula para dosar a intensidade de radiação ultravioleta conforme a sensibilidade da pele humana. O coordenador do laboratório, Petrus D'Amorim, explica que o n-Domp (nanodosímetro molecular de uso pessoal) foi instalado num crachá. Ele imita a pele humana e guarda a informação da dose de raios ultravioleta absorvida pelo corpo. "O crachá serve como suporte, que facilita a leitura posterior da dose, com auxilio de um leitor ligado a um computador. O dosímetro é formado de películas tão finas que pode ser colocado também na roupa ou na pele", diz D'Amorim. "Ele avalia os riscos para dizer o tipo de protetor solar que a pessoa deve usar."

O público-alvo do n-Domp são trabalhadores que se expõe diariamente aos raios solares, como guardas de trânsito, ou a fontes artificiais de UV dentro de fábricas. O dosímetro vai participar da maior feira de nanotecnologia do mundo, a Nanotech 2005, no Japão. Segundo D'Amorim, será comercializado depois de ser homologado pela Anvisa e pode custar menos que o próprio crachá.