Título: OAB faz campanha contra crime
Autor: Silvia Amorim
Fonte: O Estado de São Paulo, 17/05/2005, Metrópole, p. C3

De olho em outro tipo de violência sexual infantil, a que ocorre dentro de casa e na qual o algoz é o próprio pai, padrasto ou conhecido da vítima, a OAB-SP vai lançar este mês uma campanha publicitária contra o abuso sexual doméstico. O slogan é irônico: "Mamãe foi pra roça. Mas papai não foi trabalhar." O cartaz, em preto e branco, retrata com realismo a violência do ato e dor da vítima. Mostra o rosto de uma criança assustada com a boca tapada pela mão de um adulto. É impossível não parar para pensar sobre o problema. Esse é o objetivo da OAB. A campanha, realizada pela agência de publicidade Agnelo Pacheco, vai começar com a distribuição de cartazes e, depois, chegará a outdoors e emissoras de televisão.

Não há números precisos sobre casos de abuso sexual doméstico no País, já que a maior parte das vítimas não denuncia, seja por vergonha, medo ou até mesmo falta de apoio da mãe ou de parentes. Alguns estudos, no entanto, mostram que o abuso sexual representa a maioria dos casos de pedofilia. O problema atinge todas as classes sociais.

A Polícia Rodoviária Federal informou que vai intensificar amanhã, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, operações para combater a exploração sexual infantil com a distribuição de material educativo. Em São Paulo, o telefone para denúncias é o 181.