Título: Estado comemora expansão e planeja novos investimentos
Autor: Nicola Pamplona
Fonte: O Estado de São Paulo, 22/05/2005, Economia, p. B6

VITÓRIA - Com reforço no caixa garantido pelos royalties, municípios capixabas disputam agora os investimentos das empresas do setor de petróleo, que correm para acompanhar o crescimento da produção no Estado. Até meados do ano, a Petrobrás decidirá onde vai instalar a base operacional na região, negócio que atrairá pelo menos uma centena de outras companhias prestadoras de serviços, trazendo emprego e renda. Segundo o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, três cidades estão no páreo: Vitória, Anchieta e Aracruz. A escolhida terá de tudo para se tornar uma espécie de "Macaé capixaba", referência à base operacional da Bacia de Campos, com milhares de empresas do setor e uma das cidades que mais cresce no País.

Antes da decisão, porém, já há novos investimentos anunciados, como a fábrica de cabos submarinos da Pirelli, em Vila Velha, e o estaleiro da Mauá-Jurong, que será construído no porto de Barra do Riacho, em Aracruz. Os dois empreendimentos somam R$ 580 milhões.

"Nos últimos anos, as principais descobertas de petróleo foram feitas aqui", comemora Hartung. Segundo ele, porém, o Estado passou por um "choque ético" nos últimos anos, que criou um ambiente favorável a investimentos. "Não é só o petróleo. Temos projetos de todas as cadeias produtivas baseadas no Estado", afirma, citando papel e celulose, mineração e logística entre os setores que planejam investir.

Hartung assumiu o Estado com uma dívida de R$ 1,2 bilhão com fornecedores, prestadores de serviços e funcionários. Na época, vendeu parte dos royalties que teria a receber durante seis anos ao governo, em uma operação de saneamento das finanças. Além disso, promoveu ajuste fiscal rigoroso. "Este ano, vamos conseguir investir 10% do nosso orçamento, o que dá cerca de R$ 500 milhões", informa.

De fato, o Espírito Santo freqüentava assiduamente as páginas policiais, com problemas de corrupção e tráfico de influência por políticos locais. O atual governador cassou cerca de 300 benefícios e incentivos fiscais concedidos no governo anterior a "amigos" e aumentou a fiscalização sobre o recolhimento de impostos. Diz que conseguiu ampliar em 20% a arrecadação de ICMS no primeiro ano e em 32% no segundo.

Agora, Hartung quer o apoio da Petrobrás e do governo federal para conseguir gás natural mais barato para investimentos em redução de minério de ferro. Com o Campo de Golfinho, a produção do Estado vai atingir 10 milhões de metros cúbicos por dia e será exportada para o Nordeste.

"O Espírito Santo vai ser uma espécie de Bolívia para o Brasil, vai fornecer gás para o desenvolvimento nacional", afirma Hartung. Pelo Estado, vai passar o Gasoduto Sudeste-Nordeste, um dos principais projetos de integração regional do governo.