Título: Secretário de Bush ameaça reagir a retaliações
Autor: Jamil Chade
Fonte: O Estado de São Paulo, 07/10/2005, Economia & Negócios, p. B9

Os Estados Unidos ameaçaram adotar medidas contra o Brasil, caso o País resolva aplicar retaliações comerciais contra produtos, serviços e patentes americanos. Em visita oficial a Brasília, o secretário-adjunto de Estado, Robert Zoellick, insistiu que a adoção de retaliações é "contraproducente, somente pioraria o problema e deveria ser adotado só em último caso". Assinalou ainda que Washington poderá rever o acesso preferencial de produtos brasileiros ao mercado americano, com tarifas de importação reduzidas, e também a cooperação na área de propriedade intelectual.

Zoellick demonstrou que já não interessa mais aos Estados Unidos a negociação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca) e tampouco um acordo com o Mercosul - proposta que o Itamaraty insiste em apresentar ao governo americano. O foco de Washington, afirmou Zoellick, está na Rodada Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC).

"O Brasil vende US$ 2,5 bilhões ao Estados Unidos por meio do Sistema Geral de Preferências (SGP) e trabalhamos em cooperação no combate à pirataria. É perigoso entrar nesse caminho", afirmou Zoellick. "Se o Brasil quiser retaliar, nós podemos rever essas iniciativas."

"No meu ponto de vista, chegar à retaliação será o pior. Apenas tornará mais difícil a solução do problema", disse o secretário. "No caso de subsídios, o melhor caminho é a negociação na Rodada Doha da OMC, na qual deveria haver parceria entre o Brasil e os EUA na eliminação dos subsídios agrícolas e na redução de tarifas."