Título: Auto-suficiência de petróleo vem com P-50
Autor: Nicola Pamplona
Fonte: O Estado de São Paulo, 24/11/2005, Economia & Negócios, p. B9

Batizada ontem pelo presidente Lula, a plataforma P-50 vai marcar a estréia da espanhola Repsol na produção de petróleo no País. A empresa tem 10% do campo de Albacora Leste, onde a embarcação vai operar, e ficará com 18 mil dos 180 mil barris de petróleo extraídos por dia. A P-50 deve iniciar as operações no primeiro trimestre de 2006, e será fundamental para que o País consiga a auto-suficiência na produção de petróleo. Segundo o diretor de Exploração e Produção da estatal, Guilherme Estrella, o Brasil vai atingir a marca de 1,85 milhão de barris por dia no fim de dezembro, enquanto o consumo está em 1,8 milhão de barris.

Com a P-50, a Petrobrás terá condições de manter a produção acima do consumo mesmo com paradas programadas de manutenção em outras plataformas. A companhia estima terminar 2006 produzindo, em média, 1,91 milhão de barris por dia, volume 3,25% superior ao consumo de combustíveis estimado para o período. Outras 4 plataformas entram em operação em 2006, com capacidade total de 200 mil barris por dia.

A P-50 será deslocada para o campo de Albacora Leste em dezembro. Quando entrar em operação, será a maior no País - a P-36, que naufragou na Bacia de Campos em 2001, também tinha capacidade de 180 mil barris por dia. Com investimentos de US$ 660 milhões, o projeto protagonizou o primeiro programa eleitoral do então candidato Lula, em 2002, no estaleiro Verolme, em Angra dos Reis. No programa, Lula reclamava da contratação da unidade no exterior.

O casco da plataforma foi convertido a partir do petroleiro Felipe Camarão, em Cingapura. O estaleiro Mauá-Jurong, onde as obras estão sendo finalizadas, atuou apenas na montagem dos equipamentos no convés, trabalho equivalente a 38% da encomenda, e que gerou 4,2 mil empregos diretos.

SURPRESA

Banido da Petrobrás na gestão Henri Philippe Reichstul, o empresário German Efromovich, controlador da Marítima Engenharia e Petróleo e da companhia aérea Ocean Air, voltou por cima. Ontem, Efromovich surpreendeu a todos ao ser anunciado como controlador do estaleiro Mauá Jurong, que detém alguns dos maiores contratos da estatal, e anfitrião da cerimônia de batismo da P-50. Ele tinha participação no grupo e em setembro se tornou majoritário.