Título: Alckmin insiste em mudança no indexador
Autor: Sérgio Gobetti
Fonte: O Estado de São Paulo, 13/01/2005, Nacional, p. A7

O governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB) voltou a defender ontem a alteração do indexador que corrige as dívidas dos Estados e municípios, mas ressaltou que é contra mudanças na Lei de Responsabilidade Fiscal. Segundo ele, o IGP-DI, fator de correção atual das dívidas renegociadas com a União, é sempre maior do que os outros índices e é muito contaminado pela variação do câmbio. "Quando em 2002 e 2003 o dólar disparou e o risco Brasil foi lá em cima, o IGP-DI acumulado em 12 meses foi de quase 30%, isso é, a mesma dívida foi aumentada em 30%", disse o governador.

Ele lembrou que os vários índices que medem a inflação "tendem no tempo a se aproximar, mas nem sempre isso acontece". "Mesmo que isso fosse verdade", continuou, "é preciso um tempo".

Alckmin prega a troca desse índice por outro, como o IPCA, ou que pelo menos se amplie o prazo de adaptação para que os indexadores se aproximem e as distorções como a de 2002 e 2003 sejam corrigidas.

CIDADANIA

Alckmin explicou por que acha importante manter a Lei Fiscal intacta: "Foi um ganho de qualidade para a cidadania, ninguém tem o direito de comprometer o futuro e as novas gerações."

Ao comentar a crise nos municípios e Estados, ele ainda condenou o calote nas dívidas: "Isso não ajuda o País."

O governador esteve em Cubatão para a inauguração de uma subestação de energia elétrica da Carbocloro, que possibilitará aumento de 40% na produção da empresa.