Título: Lula retoma viagens e volta a Davos
Autor: Leonencio Nossa
Fonte: O Estado de São Paulo, 04/01/2005, Nacional, p. A7

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva programou cinco viagens pelo País e uma para Davos (Suíça) neste mês. Dois anos depois de propor sem sucesso um fundo mundial de combate à pobreza, o presidente Lula deverá participar novamente no fim do mês dos fóruns de Davos, o Econômico, pró-globalização, e de Porto Alegre, o Social, antiglobalização. Antes dos compromissos internacionais, Lula deverá viajar para quatro Estados. Em janeiro de 2003, semanas após assumir o governo, Lula disse aos ativistas antiglobalização reunidos na capital gaúcha que "um outro mundo era possível" e que Davos precisava "ouvir" Porto Alegre. Já na Suíça, ele pediu aos banqueiros e ao G-7 - grupo dos sete países mais desenvolvidos - a criação de um mecanismo para ajudar a erradicar a miséria nas nações pobres.

O fundo sugerido por Lula não saiu do papel, mas a presença do presidente nos eventos ganhou destaque na imprensa brasileira e também internacional.

PERSONALIDADE

Nos fóruns, Lula encontrará uma situação bem diferente da vivida no primeiro ano de mandato. Em 2003, ele era uma personalidade brasileira que o mundo queria conhecer. O presidente não precisou fazer força para ganhar os holofotes. E agora, na metade do mandato, Lula poderá ter uma platéia menos "paciente" em Porto Alegre para ouvir a defesa da política econômica adotada pelo governo e a relação mantida com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, reúne os opositores do Fórum Econômico Mundial, de Davos. No ano passado, o Fórum Social foi realizado na Índia. Antes de ser presidente, Lula esteve duas vezes no encontro da capital gaúcha, que era administrada pelo PT.

AGENDA

A partir da próxima semana, Lula deverá ter uma agenda movimentada, com viagens pelo País. Dia 11, ele participará da inauguração de uma usina hidrelétrica em Rio das Antas, no Rio Grande do Sul. Em seguida, dia 14, visitará as cidades pernambucanas de Surubim e Caruaru, onde inaugura uma clínica odontológica e visita um pólo industrial. Há possibilidade ainda de o presidente acompanhar, dia 19, as ações do Projeto Rondon, em Manaus. No dia 21, Lula visitará uma fábrica de celulose em Eunápolis, no sul da Bahia.

Os assessores do Planalto avaliam ainda a possibilidade de Lula visitar o presidente do Suriname. Ele recebeu convite para participar da Cúpula da Comunidade dos Países do Caribe (Caricom), que será realizada nos dias 15 e 16 de janeiro, no país vizinho de colonização holandesa.

FERIADO

Depois do feriadão de Ano-Novo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou ontem ao trabalho, no Palácio do Planalto, onde se reuniu à tarde com os ministros da coordenação política, o chamado "núcleo duro" do governo. Estiveram no gabinete do presidente o vice e ministro da Defesa, José Alencar, e os ministros Antonio Palocci (Fazenda), José Dirceu (Casa Civil), Aldo Rebelo (Coordenação Política) e Jaques Wagner (Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social).

Logo depois, Lula despachou com o ministro Patrus Ananias, do Ministério do Desenvolvimento Social. Patrus é responsável pelo Bolsa-Família, um dos programas mais caros ao presidente. No mês passado, Lula criticou a pesquisa do IBGE, segundo a qual há mais pessoas com excesso de peso do que com fome no Brasil.