Título: O que pode acontecer no tribunal
Autor: Thélio de Magalhães e Marcelo Godoy
Fonte: O Estado de São Paulo, 07/02/2006, Metrópole, p. C4

No julgamento no Tribunal de Justiça da apelação do coronel Ubiratan Guimarães contra a pena de 635 anos que recebeu no 2.º Tribunal do Júri pelo massacre no Carandiru pode ocorrer uma destas hipóteses: 1 - O recurso ser acolhido apenas com base nas preliminares de nulidade, hipótese em que não haverá discussão sobre o mérito. Nesse caso, o júri que condenou o coronel estará nulo e haverá novo julgamento. Por ocasião desse segundo julgamento, se Ubiratan tiver sido reeleito deputado, terá foro especial e será mais uma vez julgado pelo TJ. Se não for reeleito perderá o foro especial e o processo volta para o 2.º Tribunal do Júri; 2 - O TJ acolhe o recurso pelo mérito, o que encerra o processo, com a absolvição de Ubiratan; 3 - O julgamento pode ser interrompido para prosseguir na próxima semana caso algum dos 25 desembargadores peça vistas para melhor estudo do processo; 4 - O TJ nega o recurso do réu e o coronel sai preso.