Título: Ele teria pedido para PF assumir casos de Ribeirão
Autor: Tânia Monteiro e Vannildo Mendes
Fonte: O Estado de São Paulo, 04/04/2006, Nacional, p. A4

Além de tentar desqualificar o caseiro Francenildo dos Santos Costa, o Nildo, o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci planejou usar o Ministério da Justiça para transferir os inquéritos abertos em Ribeirão Preto contra ele para a Polícia Federal. A manobra está narrada no depoimento sigiloso prestado anteontem à PF por dois assessores do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. São eles: o chefe de gabinete de Bastos, Cláudio Alencar, e o secretário do Direito Econômico, Daniel Goldberg.

Os dois disseram ter sido chamados por Palocci em 16 de março para fazer duas consultas ao ministério: como fazer a PF investigar suspeitas de que Nildo teria recebido depósitos vultosos da oposição e também assumir as investigações de Ribeirão Preto.

Alencar e Goldberg frisaram que em nenhum momento Palocci avisou que havia sido quebrado ilegalmente o sigilo bancário do caseiro. Apesar de os dois terem deixado dúvidas no depoimento, a Polícia Federal informou que ainda não vê razões para tomar o depoimento do ministro.

No dia da consulta de Palocci, o ministro da Justiça participava, em Rondônia, de uma operação da Polícia Federal para fortalecer o policiamento de fronteira do Brasil com a Bolívia. Alencar e Goldberg disseram que só conseguiram avisar ao chefe sobre a consulta no dia 18, um sábado.