Título: PL agora diz que vai expulsar Rodrigues
Autor: Sônia Filgueiras
Fonte: O Estado de São Paulo, 05/05/2006, Nacional, p. A8

O presidente em exercício do PL, Alfredo Nascimento, abriu processo no partido para expulsar o ex-deputado Carlos Rodrigues (PL-RJ), preso ontem na Operação Sanguessuga. Nascimento determinou intervenção no diretório regional do PL no Rio de Janeiro, indicando o secretário-geral da sigla, Sérgio Tamer, como interventor.

Ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, Carlos Rodrigues renunciou em setembro do ano passado para fugir do processo de cassação. Rodrigues foi acusado de envolvimento no mensalão, por ter recebido R$ 400 mil do empresário Marcos Valério. A CPI dos Correios pediu a cassação do mandato de Rodrigues, que durante muito tempo foi o coordenador político da bancada da Igreja Universal na Câmara.

No caso do ex-deputado Ronivon Santiago, a prisão na manhã de ontem atrapalhou a finalização de negociação para fechar uma alinança de seu partido, o PP, no Acre. Ao ser preso em Rio Branco, o ex-deputado pediu aos agentes que permitissem que ele participasse de uma reunião para formalizar a a aliança com a Frente Popular- coligação de 11 partidos, liderada pelo PT, que governa o Acre há dois mandatos.

A reunião ocorreu sem a sua presença, pois Ronivon passou o dia sendo interrogado na Superintendência Regional da PF em Rio Branco. No final do encontro, o governador Jorge Viana foi questionado sobre se a prisão de Ronivon poderia afetar a imagem da coligação. Ele argumentou que a aliança foi feita com o partido e não com o ex-deputado. O mesmo comentário foi usado pelo articulador político da Frente, Francisco Nepomucemo. "As coligações envolvem partidos, não pessoas."