Título: Presos PMs suspeitos de extermínio
Autor: Marcelo Godoy
Fonte: O Estado de São Paulo, 21/06/2006, Metrópole, p. C1

A Corregedoria da Polícia Militar deteve ontem dois policiais suspeitos de formar um grupo de extermínio na zona leste de São Paulo. Outros dois PMs podem ter o mesmo destino dos colegas. Todos trabalham no 28º Batalhão. Em um mês, o grupo teria sido responsável pela prisão, na capital, de quatro pessoas que apareceram mortas no dia seguinte no município vizinho de Ferraz de Vasconcelos.

O caso mais recente aconteceu anteontem. Com base em uma denúncia feita à corregedoria, foram encontrados os corpos do mecânico Fábio Garcia, de 23 anos, e do gráfico José Luís da Costa, de 36 anos, mortos a tiros. Eles estavam em uma rua de terra, a Rua da Adutora, no bairro de Cambiri, em Ferraz, na Saveiro de José Luís.

Os dois eram vizinhos no Parque Iguatemi e, segundo uma testemunha já ouvida pela corregedoria, foram detidos à 1h20 do dia 19 pelos PMs de um Corsa da 3ª Companhia do 28º Batalhão. Os corpos foram reconhecidos no Instituto Médico-Legal (IML) de Suzano pelo pai de Fábio, Anésio Cordeiro Garcia, que confirmou a denúncia contra os policiais.

A corregedoria interrogou os dois PMs da equipe suspeita e vai mantê-los detidos administrativamente por cinco dias. "Eles negaram ter feito a prisão e disseram que estavam apoiando outra equipe", disse o major Mauro José, da corregedoria. Um dos PMs tem 19 anos de corporação e o outro, 9. Os dois policiais da equipe apontada pelos suspeitos, procurados ontem, não foram encontrados.

Por enquanto, quatro testemunhas já foram ouvidas pela corregedoria, mas nenhuma delas reconheceu os policiais suspeitos por meio de fotografias. A corregedoria deve submeter os suspeitos a reconhecimento pessoal até sexta-feira.

Quando o caso de anteontem foi registrado na Delegacia de Ferraz de Vasconcelos, policiais da cidade se lembraram de outro, ocorrido há um mês no mesmo bairro de Cambiri. Ali foi encontrado, dentro de um carro, um casal morto a tiros. Assim como ocorreu com Fábio e José Luís, parentes das vítimas disseram na delegacia que elas também haviam sido detidas um dia antes em Cidade Tiradentes por policiais do 28º Batalhão.

"Abrimos inquérito, mas não conseguimos confirmar a denúncia", disse o delegado Juarez Pereira Campos, titular do distrito de Ferraz. A ficha policial do casal, que teve parte dos corpos queimados, era limpa.

A corregedoria foi informada sobre esse outro caso ontem, já abriu inquérito e está à procura de testemunhas. "A Ouvidoria da Polícia nos encaminhou a denúncia", disse o major. "O que há de comum entre esses casos é a acusação contra policiais do 28º Batalhão."