Título: Lobão reage a críticas de falta de investimento
Autor: Salomon, Marta
Fonte: O Estado de São Paulo, 01/03/2011, Economia, p. B5

Ministro atribuiu número de apagões a um problema isolado em Mato Grosso: 'Sistema é robusto, não infalível'

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, rebateu duramente as críticas que, segundo ele, vêm sendo feitas à falta de investimentos no setor elétrico no Brasil e também à interferência política na gestão do Sistema Eletrobrás e de suas coligadas.

"O doutor José Sarney (presidente do Senado) não tem um diretor no sistema Eletrobrás, não tem um diretor nas agências reguladoras. Como é que se pode conviver com uma coisa (as críticas) dessas?", disse em discurso na posse do novo presidente da Eletrobrás, José da Costa Carvalho Neto, ontem no Rio.

Referindo-se especialmente ao apagão que deixou oito Estados do Nordeste sem energia no início do mês, Lobão brincou: "Fui dizer que o sistema era robusto e durante uma semana ou duas só apanhei. Eu disse que o sistema é robusto, não infalível".

Levantamento feito pelo Estado apontou em reportagem publicada ontem que dos seis maiores blecautes ocorridos desde 1965, três foram no Brasil (1999, 2009 e 2011): "Nossos problemas não são decorrentes de falta de investimentos. Nunca se investiu tanto no setor elétrico como agora. Dentro dos próximos dez anos serão investidos R$ 388 bilhões. Nos últimos oito anos o governo investiu R$ 40 bilhões, e foi responsável por 38% de tudo o que existe existiu até hoje em energia elétrica no País."

Isolado. O ministro atribuiu o aumento no número de ocorrências a um problema isolado em Mato Grosso. "Não se disse que esta diferença envolveu apenas uma linha, que vai de Mato Grosso a Rondônia. E por que houve isso naquela linha? Porque estamos na tentativa de construir uma linha nova, mas tivemos embaraços", afirmou.

Ele aproveitou para criticar os "excessos" nas exigências ambientais. "Acho que a defesa do meio ambiente é dever de cada pessoa. Estamos vendo todos os dias o impacto disso. Portanto, a preservação ambiental é dever de todos. Mas não podemos levar isso aos limites do absurdo."

Lobão ainda admitiu que a "transmissão até que é falha", mas disse que o governo está tentando reverter isso nos últimos anos. Ele ressaltou que, na gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foram implementados 32% dos atuais 100 mil quilômetros de linhas de transmissão existentes no País.

"Como é que se pode dizer que não se tem investimentos?" Lobão aproveitou também a posse do presidente da Eletrobrás para defender investimentos em usinas nucleares, afirmando que os acidentes ocorridos até hoje são "exceções" e não podem ser tomados como regra.