Título: Parlamento italiano aprova plano de austeridade de 47 bilhões de euros
Autor: Netto, Andrei
Fonte: O Estado de São Paulo, 15/07/2011, Economia, p. B10

O Parlamento da Itália aprovou ontem, em regime de urgência, o adendo ao orçamento do país que prevê cortes de ? 47 bilhões até 2014, no segundo plano de austeridade fiscal elaborado pelo governo Silvio Berlusconi. O objetivo é dirimir as dúvidas dos investidores nos mercados financeiros sobre a capacidade do país de reorganizar suas contas, reduzindo o déficit de 4,6% e a relação dívida/PIB, de 120%.

Os projetos foram aprovados por 161 votos a 135, com três abstenções. Um programa de reforma fiscal também será debatido em regime de urgência no Senado para ampliar as economias e elevar receitas a ? 60 bilhões. "Sem o orçamento equilibrado, o monstro da dívida, que vem do passado, devoraria nosso futuro e o futuro de nossos filhos", disse o ministro da Economia, Giulio Tremonti.

Temor. A votação relâmpago do plano de rigor e a análise acelerada da reforma dos impostos foram decididas depois que a Itália passou a ser apontada pelos mercados financeiros como a próxima vítima da crise das dívidas soberanas da Europa, que já afetou Grécia, Irlanda e Portugal. Além de estar pressionado por uma dívida de ? 1,9 trilhão e por ? 75 bilhões de juros anuais, o governo italiano também sofre de falta de credibilidade política. Tanto o primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, quanto Tremonti são suspeitos de fraudes que fragilizaram suas posições.

As notícias do dia, porém, não trouxeram tranquilidade às bolsas de valores do continente. Em Londres, Frankfurt e Paris, as três principais praças da União Europeia, os pregões fecharam com quedas de 1,01%, 0,73% e 1,11%, respectivamente. Em Milão, a baixa foi de 1,07%.