Título: PIB brasileiro perde até para o europeu
Autor: Veríssimo, Renata
Fonte: O Estado de São Paulo, 07/12/2011, Economia, p. B6

Crescimento do terceiro trimestre deste ano foi pior do que o dos países europeus e ficou abaixo do resultado dos outros países do Brics

O desempenho da economia brasileira teve o pior resultado no terceiro trimestre entre o grupo de países emergentes chamado Brics, integrado por Brasil, Rússia, Índia, China e ainda África do Sul, na comparação com o mesmo período de 2010, segundo o IBGE.

Enquanto o PIB do Brasil registrou expansão de 2,1% no período, a China teve alta de 9,1%, a Índia conquistou um aumento de 6,9%, a economia russa alcançou 4,8%, e a performance da África do Sul resultou num crescimento de 3,1%.

Na comparação com o segundo trimestre, o Brasil teve crescimento nulo (zero) igual ao de nações europeias mergulhadas na crise da zona do euro, como Espanha e Bélgica. O desempenho brasileiro ficou atrás do da União Europeia, que cresceu 0,2%, e de países como França (0,4%) e Alemanha (0,5%).

América Latina. Na América Latina, o resultado do Brasil ficou distante do México (1,3%) e do Chile (0,6%). Os Estados Unidos, em lenta recuperação, cresceram 0,5%. Na Ásia, a Coreia do Sul também teve desempenho melhor, 0,7%, assim como o Japão, que cresceu 1,5% em meio à recuperação do terremoto.

Nem todos os países divulgam a variação do PIB neste tipo de comparação, em relação ao trimestre imediatamente anterior, o que explica a ausência de outros membros dos Brics na lista.

A gerente da Coordenação de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, relativizou o fraco desempenho do PIB brasileiro, na lanterna da comparação com outros países, sobretudo os emergentes. "Em relação ao cenário internacional, é preciso olhar uma série mais longa. Porque vai depender das taxas de crescimento que os países apontaram em outros períodos", disse a técnica do IBGE, lembrando que o país já ocupou melhores posições em leituras anteriores.

No entanto, uma análise das séries históricas mostra que o ritmo de expansão do PIB brasileiro vem perdendo fôlego em relação ao crescimento dos demais Brics desde o segundo trimestre de 2010, quando começou a desacelerar. No terceiro trimestre de 2010, o Brasil perdeu a segunda posição para a Índia. Nos últimos três meses do mesmo ano, o País empatou com a Rússia. No segundo trimestre de 2010, a expansão da economia brasileira ficou no mesmo patamar que a da África do Sul. E agora, no terceiro trimestre, caiu para a lanterna no ranking dos Brics.

Em Brasília, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que a economia brasileira vai crescer pelo menos o dobro do verificado nos países europeus em 2011 e acima do registrado nos EUA. Mantega afirmou que, no terceiro trimestre, o País teve um desempenho abaixo do verificado em algumas nações avançadas, mas que isso já vai mudar no quarto trimestre. "O PIB do terceiro trimestre é pior que alguns países avançados, mas nos outros trimestres crescemos mais e vamos crescer mais no quarto trimestre", afirmou. "A partir de 2012, voltaremos a taxas elevadas e deixaremos para trás os países avançados", disse Mantega / COLABORARAM RENATA VERÍSSIMO, CÉLIA FROUFE E EDUARDO CUCOLO