Título: Na rota do canal, posto de saúde e assentamento
Autor: Bresciani, Eduardo ; Pedrosa, Wilson
Fonte: O Estado de São Paulo, 04/12/2011, Nacional, p. A6/7

Problemas causados pela construção, como rachaduras nas casas decorrentes das explosões, preocupam moradores de regiões do entorno da obra

Mesmo com a obra em andamento há cerca de três anos, pendências sobre a transposição do Rio São Francisco ainda não foram totalmente resolvidas junto aos moradores das regiões que terão a paisagem mudada pelo canal. Problemas de pequenas comunidades que podem perder serviços essenciais, como um posto de saúde, não foram solucionados. Rachaduras em casas decorrentes das explosões para a construção também trazem preocupações a moradores.

Veja também: Governo abandona transposição do São Francisco após eleição de Dilma Passado o investimento, ficou o prejuízo

No assentamento Serra Negra, distante 65 km do centro de Floresta (PE), a preocupação maior é sobre o que será feito com o posto de saúde do local. A construção que abriga o posto está na rota da transposição e até agora os moradores não sabem qual será a solução. Segundo Edilene Alves, agente de saúde que trabalha no local há 15 anos, são feitos cerca de 40 atendimentos por dia na unidade.

"Se o posto fechar vai ser um caos porque as pessoas da região vão ter que ir para o centro de Floresta", conta ela, lembrando que 400 famílias são cadastradas no posto de saúde.

Na mesma localidade, moradores ainda esperam solução para danos provocados pela obra. A aposentada Maria do Socorro da Silva, de 61 anos, convive com o "medo de sua casa cair" desde o ano passado. A residência está com rachaduras que vão do teto até o chão na sala, em um dos quartos e na cozinha.

Segundo ela, o problema é resultado da detonação de explosivos para a formação do canal, que passará a cerca de 300 metros de sua casa. Maria do Socorro conta ter recebido uma visita de um encarregado da obra. "Ele veio, olhou, mas não resolveu nada até hoje."

O Ministério da Integração afirma já ter encontrado uma solução para o problema do posto de saúde. De acordo com a assessoria, serão repassados recursos para a Prefeitura de Floresta construir uma nova unidade de atendimento na localidade em algum terreno que não será desapropriado. Não foi informado, porém, o prazo para esta ação.

Em relação às rachaduras nas casas, o ministério afirmou que analisa as reclamações dos moradores e comunica às empresas para providenciar reparos.

Benefícios. O assentamento Serra Negra foi oficializado em 1990, mas até hoje não tem água encanada. Carros pipas foram colocados a disposição para atender aos moradores e os poucos poços furados também tem escassez de água.

Vizinha do canal, a comunidade espera conseguir acesso aos benefícios da obra, mas ainda não está definido de que forma isso poderá ser feito. Em outros trechos, cercas já foram colocadas para impedir que qualquer pessoa possa chegar ao local.