Título: Polícia prende quadrilha ligada a Cachoeira
Autor: Gallo, Fernando ; Toledo, José Roberto
Fonte: O Estado de São Paulo, 25/08/2012, Nacional, p. A12

A Polícia Civil do Distrito Federal desarticulou ontem, na Operação Jackpot, uma organização criminosa que explora jogos ilegais no Distrito Federal, comandada pelos irmãos Queiroga, ligados ao contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso desde 29 de fevereiro pela Polícia Federal. Segundo o chefe da Divisão de Combate ao Crime Organizado (Deco), delegado Henry Lopes, há indícios de que, mesmo da prisão, Cachoeira comandava o esquema.

Entre os presos está Raimundo Washington de Souza Queiroga, um dos chefes da exploração de jogos ilegais no DF. Subordinado direto de Cachoeira, Queiroga havia sido preso na Operação Monte Carlo, em fevereiro passado, mas libertado por habeas corpus concedido pela Justiça. Também foram presos Otoni Olímpio Queiroga Júnior, irmão de Queiroga, e Bruno Gleidson Soares Barbosa. Estão sendo procurados outros dois operadores. Um deles é Antonio José Olímpio Naziozeno, que também já havia sido preso na Operação Monte Carlo.

Segundo o diretor-geral da Polícia Civil do DF, Jorge Luiz Xavier, a família Queiroga voltou a operar o esquema de jogos ilegais no DF no dia seguinte após sair da prisão, há dois meses. "Isso mostra o nível de ousadia sem limites", afirmou. A quadrilha, segundo a polícia, se rearticulou pouco depois da deflagração da Monte Carlo e continuou explorando casas de bingo e máquinas caça-níqueis mesmo com os chefes presos. As máquinas vinham do bingo Águia, de Goiás, e entravam no DF para uso nessas casas de jogos, que faturavam em média R$ 8 mil ao dia. Documentos apreendidos mostram vales de até R$ 37 mil, assinados por clientes endividados.

-------------------------------------------------------------------------------- adicionada no sistema em: 25/08/2012 05:43