Título: Depoimento é urna indignidade, diz Gilberto Carvalho
Autor: Moura, Rafael Moraes ; Domingos, João
Fonte: O Estado de São Paulo, 13/12/2012, Nacional, p. A4

Ministro vê "desespero oportunista" e "falácia" em declarações e diz que ex-presidente "nunca avistou esse senhor"

O ministro-chefe da Secretaria " Geral, Gilberto Carvalho, classifi­cou como "desespero oportunis­ta" e "uma indignidade" as decla­rações do empresário Marcos Va­lério ao Ministério Público. "O presidente Lula teve a sua vida privada invadida, examinada, ata­cada com lupa e até hoje não apa­receu nada e não vai aparecer na­da porque não é essa a conduta do Lula, de compactuar com qual­quer tipo de mal", disse. "Nada do que o senhor Marcos Valério venha a assacar neste momento atinge o presidente Lula, se atin­gisse, estávamos preocupados."

As declarações do ministro, que foi chefe-degabinete de Lula na Presidência, foram dadas em café da manhã com a imprensa, no Palácio do Planalto. "O que esse senhor tem revelado parti­cularmente naquilo que diz res­peito ao presidente Lula é de uma falácia, é de uma falsidade impressionante e me impressio­na a credibilidade que se dá a es­se cidadão nessa hora, tantos nos detalhes quanto no conteú­do mais profundo", disse Carva­lho. Ele lembrou que trabalhava no Planalto. "Eu sei quem en­trou e deixou de entrar naquele gabinete", referindo-se à sala de Lula, que Valério diz ter visitado por três minitos para que o en­tão presidente desse aval, segun­do seu depoimento, aos emprés­timos bancários que viriam irri­gar o mensalão. "Esse senhor nunca pisou naquele gabinete."

Segundo Carvalho, "o presiden­te Lula nunca avistou esse se­nhor" e cita que Valério "erra, in­clusive, a geografiainterna (do Pla­nalto) , que é um pequeno detalhe, mas os detalhes também con­tam". Ele se refere à afirmação de Valério que, depois de se reunir com o então ministro José Dirceu e o tesoureiro Delúbio, contou que os três "subiram" para o gabi­nete de Lula para o então presi­dente desse "ok" para os emprésti­mos. Só que o gabinete de Dirceu ficava no quarto andar do Planal­to e o de Lula, no terceiro - na ver­dade, o empresário afirmou que a reunião anterior com Dirceu não ocorreu no gabinete do então mi­nistro e sim numa sala do segun­do andar usada para "reuniões" e, às vezes, "referições".

Carvalho disse que "não é ver­dade" que Valério tenha pago des­pesas do presidente Lula. "Se hou­ve erros de membros do nosso partido na sua relação com o se­nhor Marcos Valério, esses erros já foram devidamente julgados e devidamente penalizados", afir­mou, referindo-se às penas julga­mento do mensalão no Supremo.

O ministro não comentou a de­claração do presidente do STF, Joaquim Barbosa, segundo a qual Lula deveria ser investiga­do. "Cabe a ele ser responsável pelas suas opiniões", disse.

indignado".

Carvalho, que con­versou com Lula anteontem, afirmou que o ex-presidente es­tá "profundamente indignado com a atitude deste senhor e im­pressionado com a credibilida­de" que ela ganhou, embora este­ja condenado a 40 anos pelo Su­premo. Para o ministro, "é natu­ral que a oposição, que as forças que querem combater o presi­dente Lula, usem, em cada episó­dio, num gesto quase desespera­do, tentar fazer separação entre Lula e o povo", Mas avisou que eles "não vão conseguir."

--------------------------------------------------------------------------------