Título: Sem incidentes, blogueira cubana deixa Havana
Autor: Russo, Guilherme
Fonte: O Estado de São Paulo, 18/02/2013, Intenacional, p. A11

Após 20 tentativas fracassa­das de deixar Cuba, a bloguei­ra cubana e colunista do "Esta­do" Yoani Sánchez embarcou ontem de Havana para o Bra­sil. Seu voo chegaria no Recife nesta madrugada. Yoani, que passou sem incidentes pelo controle de emigração do aero­porto da capital cubana, é uma das primeiras dissidentes do regime castrista a se benefi­ciar da nova lei migratória que passou a vigorar neste ano.

O Brasil é a primeira escala de um giro que a opositora cubana pretende empreender por mais de dez nações, na América e na Europa, nos próxi­mos meses. Sua agenda de com­promissos começa na Bahia, onde chega ainda hoje. Ela che­ga a São Paulo na noite da quar­ta-feira e participa de eventos na sede do Estado no dia se­guinte.

"Levo comigo uma mensa­gem de esperança. Não sou in­gênua, me dou conta dos pro­blemas, mas creio no futuro e estou muito esperançosa pelas pessoas", afirmou Yoani a re­pórteres no Aeroporto Interna­cional José Marti, pouco antes de embarcar em Havana.

Umdos símbolos da luta pela liberdade de expressão ao re­dor do mundo, Yoani, de 37 anos, despediu-se do filho ado­lescente, Teo, e do marido, o também dissidente Reinaldo Escobar, antes de passar pelo controle migratório. "Meu no­me não soou nos alto-falantes, não me levaram a um quarto para despir-me ou para "ler a cartilha". Tudo está saindo bem. (Foi) muito calorosa a rea­ção dos (demais) passageiros comigo. Há abraços, fotos em conjunto... já sinto o cheiro da liberdade", escreveu Yoani em sua conta no Twitter momen­tos depois.

No microblog, a ativista mos­trou-se ansiosa com as expe­riências que a aguardavam: "Disseram-me que o aeroporto do Panamá, onde farei escala, tem uma zon awi-fi... não posso acreditar".

"Temo que as detenções arbi­trárias continuem como uma ferramenta de repressão. Te­mo que o grito se mantenha co­mo política de Estado. Temo que neste tempo minha ilha não avance nenhum passo no respeito à diversidade ideológica, que o extremismo político permaneça", prosseguiu.

Em seus últimos tuítes antes de o avião decolar, porém, a blo­gueira manifestou certo alen­to: "No entanto, tenho muitas esperanças. Tenho esperanças de que a pequena voz que a cida­dania alcançou seja ouvida com mais forca, se faça mais firme e clara. Tenho esperanças de que o absurdo não pode du­rar muito mais."

Recife. Na capital pernambu­cana, Yoani seria recebida no início da madrugada pelo ci­neasta Dado Galvão e pelo blogueiro Rafael Velame, organiza­dores da "vaquinha" que finan­ciou a viagem da cubana para o Nordeste brasileiro. Ainda ho­je, às 19 horas, ela participará de uma exibição do documentá­rio Conexão Cuba Honduras, em Feira de Santana, Bahia, no qual é uma das entrevistadas.

Na quinta-feira, às 10 horas, a cubana participa do evento "Conversa com Yoani", no au­ditório do Grupo Estado. No mesmo dia, encontra-se com blogueiros na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, no fim da tarde, e logo depois lança a nova edição de seu livro De Cuba, com Carinho, publicado pela Editora Contexto, e conce­de uma sessão de autógrafos.