Título: ONZE MIL PESSOAS SERÃO OPERADAS EM MUTIRÃO
Autor:
Fonte: O Globo, 30/04/2005, Rio, p. 22

Onze mil e quarenta pacientes que estavam na fila dos hospitais públicos do Rio esperando por cirurgias eletivas (que não são emergenciais) se inscreveram para serem operadas durante o mutirão que o Ministério da Saúde realizará no estado. A previsão é de que os onze hospitais, entre públicos e filantrópicos, que participam do mutirão comecem a operar em duas semanas. Segundo cálculos do Ministério da Saúde, a capacidade das unidades é fazer todas as 11 mil cirurgias num prazo máximo de três meses.

Serão beneficiados os pacientes que aguardavam 12 tipos de cirurgia: fimose, adenóide, hemorróidas, mioma, períneo, próstata, útero (histerectomia), varizes, vesícula e hérnias inguinal, umbilical e crural. Até agora, o Ministério da Saúde ainda não sabe qual das especialidades foi a mais procurada. O levantamento completo deve estar pronto na segunda-feira.

Segundo a diretora do programa de acompanhamento de estados e municípios do Ministério da Saúde, Silvana Pereira, se mais pacientes precisarem de cirurgia, poderá ser feito um novo mutirão.

- Ninguém sabia no Rio de Janeiro qual era a demanda por cirurgias eletivas. Agora temos idéia de que pelo menos 11 mil pessoas aguardavam - disse.

Ontem, o secretário municipal de Saúde, Ronaldo Cezar Coelho, disse que, para ampliar o programa Saúde em Família, vai propor ao Ministério da Saúde a divisão da cidade em distritos sanitários de 200 mil habitantes. Com isto, conseguiria que em alguns pontos o programa atingisse mais habitantes, aumentando assim a contrapartida financeira da União.