Título: LAW AINDA RESPONDERÁ POR CONTRABANDO
Autor:
Fonte: O Globo, 15/07/2005, Economia, p. 23

Empresário de origem chinesa é considerado o maior contrabandista do Brasil

SÃO PAULO. Condenado na quarta-feira pelo juiz da 5ª Vara Federal Criminal de São Paulo a quatro anos de prisão em regime semi-aberto por corrupção ativa, o empresário chinês Law Kin Chong ainda é alvo de outra ação na Justiça. Em processo que corre na 7ª Vara de Justiça Federal Criminal, Chong é acusado de crimes de descaminho, formação de quadrilha, falsificação de documentos, falsidade ideológica e frustração de direitos trabalhistas.

Além de Law, a denúncia apresentada à Justiça pelo Ministério Público Federal envolve ainda outras 15 pessoas. Entre elas está a mulher do empresário, Hwu Su Chiu Law, conhecida por Miriam. São todas testas-de-ferro dele, e respondem pelos crimes de formação de quadrilha e descaminho.

Law é dono de shoppings no Centro de São Paulo

Law é dono de uma série de shopping centers na região central de São Paulo, onde há forte concentração de estabelecimentos que vendem produtos piratas e contrabandeados. Em 2003, operação da Polícia Federal na região resultou na apreensão de R$11,6 milhões em mercadorias ilegais que eram vendidas nas lojas de Law.

Na ocasião o empresário foi preso e numa batida em um de seus escritórios a polícia R$2 milhões em pedras preciosas. Durante a CPI da Pirataria, ainda, Law foi investigado e apontado como um dos maiores contrabandistas do país.

No julgamento desta semana, Law foi condenado pela tentativa de suborno do então presidente da CPI da Pirataria, o deputado Luiz Antônio de Medeiros (PL-SP), a quem oferecera R$1,5 milhão para que seu nome fosse retirado do relatório final da CPI.

Empresário está preso há mais de um ano

Embora tenha sido condenado a reclusão em regime semi-aberto, o empresário está preso há mais de um ano. Ele cumpre prisão cautelar por causa das acusações que ainda pesam contra ele. Seu advogado, Luiz Fernando Pacheco, disse que irá recorrer da decisão da Justiça. (Ronaldo D'Ercole)