Título: GREVE NA RECEITA CAUSA REDUÇÃO NO SALDO DA BALANÇA COMERCIAL
Autor: Vagner Ricardo e Paula Dias
Fonte: O Globo, 26/07/2005, Economia, p. 19

Superávit caiu de US$985 milhões para US$343 milhões

BRASÍLIA. A balança comercial brasileira foi afetada, na semana passada, pela greve dos técnicos da Receita Federal, entre os dias 20 e 22. Devido à paralisação, a média diária exportada caiu para R$400 milhões, e o superávit despencou de US$985 milhões na terceira semana para US$343 milhões na quarta semana. Mas nem isso interrompeu o vigor das vendas externas, que tem levado consultorias, bancos e outras instituições a reverem para cima suas estimativas de saldo para 2005.

O Bradesco, por exemplo, revisou sua projeção de superávit comercial para este ano de US$38,3 bilhões para US$41,1 bilhões, citando a alta dos preços das commodities no mercado internacional. Semana passada, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) mudou sua estimativa de US$32 bilhões para US$38 bilhões, e a Tendências, de US$33,9 bilhões para US$37 bilhões. Segundo a CNI, o aumento das exportações se deve ao desaquecimento da demanda interna.

¿ Para nós, a razão é que as importações, que estão mais baratas por causa da valorização do real, estão demorando um pouco a se recuperar e, por outro lado, os preços internacionais estão muito fortes ¿ disse Guilherme Loureiro, da Tendências.

Para Cristiano Souza, da MCM, que espera superávit de US$37 bilhões, o aumento nas importações de capital não é negativo porque significa investimentos do setor produtivo.

As importações, porém, parecem não ter sido afetadas pela greve da Receita: subiram 19,3% no período, puxadas pelos gastos com combustíveis e lubrificantes (145%).

O saldo acumulado da balança este ano é de US$22,712 bilhões. Na quarta semana deste mês, as vendas somaram US$2,001 bilhões e as compras, US$1,658 bilhão. Em julho, o saldo está em US$3,041 bilhões.