Título: Negociações da Alca serão retomadas
Autor: Eliane Oliveira e Vladimir Goitia
Fonte: O Globo, 04/11/2004, Economia, p. 23

O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, John Danilovich, disse ontem que, com a vitória de George W. Bush assegurada, o governo americano se prepara para retomar as negociações para a criação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca) ainda este ano. As conversas ¿ presididas por EUA e Brasil ¿ estão travadas desde o fim do ano passado, devido a divergências que vão desde o corte de subsídios a produtos agrícolas até a abertura dos setores de serviços, investimentos e propriedade intelectual.

Condução das negociações deve ser mantida

Danilovich disse considerar ¿humanamente impossível¿ cumprir o prazo de janeiro de 2005 para conclusão das conversas. Ele não soube dizer quando autoridades brasileiras e americanas se reunirão para destravar as negociações, mas, se depender de Danilovich, o atual representante de comércio dos EUA, Robert Zoellick, será mantido no cargo.

¿ Ele é um grande defensor do livre comércio e, nas negociações, é durão ¿ disse o embaixador que do Partido Republicano, o mesmo de Bush.

Além das divergências, pelo menos três razões pesaram na suspensão das negociações da Alca. A primeira foi o próprio processo eleitoral americano, que levou o governo Bush a se voltar totalmente para a sua campanha. O segundo fator é que, desde 11 de setembro de 2001, com os atentados terroristas que atingiram os EUA, a América Latina perdeu ainda mais lugar na lista de prioridades dos americanos. E, em terceiro lugar, Brasil e EUA decidiram concentrar todos os esforços para destravarem, em julho último, a rodada da Organização Mundial do Comércio (OMC), especialmente no que diz respeito à liberalização do comércio de agrícolas.

Para Rubens Barbosa, ex-embaixador do Brasil em Washington, a reeleição de Bush deverá representar a continuidade da política da Casa Branca nas negociações no âmbito da Alca.

¿ Nós (o Brasil) já sabemos como é essa política e quais as estratégias. Portanto, cabe ao setor privado e ao governo brasileiro se prepararem para enfrentar a rodada de negociações da Alca ¿ disse Barbosa, ontem, depois de participar de evento na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo.

Acordos regionais e bilaterais continuarão

O presidente do Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais (Icone), Marcos Jank, concorda:

¿ Bush dará continuidade à sua política comercial, negociando na Organização Mundial do Comércio, negociando acordos regionais e, principalmente, acordos bilaterais ¿ afirmou.