Título: Fechando o cerco a Duda
Autor: Adriana Vasconcelos
Fonte: O Globo, 30/01/2006, O País, p. 3

Deputados da CPI dos Correios vão aos EUA atrás de outras contas do publicitário

Preocupados em não chegar ao fim de seus trabalhos sem identificar a origem dos recursos que abasteceram o esquema de financiamento do PT e de seus aliados, integrantes da CPI dos Correios vão centrar fogo esta semana no publicitário Duda Mendonça. O relator da CPI, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), e seus dois adjuntos, deputados Eduardo Paes (PSDB-RJ) e Maurício Rands (PT-PE), embarcam hoje à noite para os Estados Unidos. Eles anteciparam ao GLOBO que visitarão o escritório de advocacia Arnold & Porter para analisar a possibilidade de entrar com ação na Justiça americana para garantir a quebra de sigilo de outras contas do publicitário no exterior, além da Dusseldorf.

Duda deve ter ainda o seu pedido de reconvocação finalmente apreciado em sessão administrativa da CPI, na quarta-feira. A avaliação do grupo de relatoria é a de que Duda é peça-chave na apuração da origem dos recursos, inclusive de valores usados em pagamentos petistas que já pudessem estar no exterior.

¿ Não teremos tempo hábil para chegar ao fim dessas investigações, mas com essa possível ação poderemos gerar uma situação de irreversibilidade que nos permita cobrar das autoridades brasileiras medidas contundentes em relação a Duda Mendonça, mesmo que a CPI dos Correios já tenha concluído seus trabalhos. Embora ele tenha perdido a conta publicitária da Presidência, ainda tem a conta da Petrobras ¿ disse Eduardo Paes.

A decisão sobre a ação na Justiça americana será tomada na volta do grupo, por todos os integrantes da CPI. O escritório americano já enviou um plano de trabalho inicial para a comissão que propõe o rastreamento de recursos que estejam depositados no exterior aparentemente de forma ilegal, a partir de movimentações feitas por pessoas físicas brasileiras investigadas pela CPI.

Bloqueios somente numa segunda fase

Logo na primeira fase seria impetrada uma ação judicial em Miami, na Flórida, solicitando informações sobre todas as contas bancárias de Duda, que incluiriam extratos com eventuais depósitos, retiradas ou transferência de fundos. A partir de então seriam identificados tanto as fontes imediatas desses depósitos como os destinos dos recursos movimentados. Numa segunda fase seria possível solicitar o bloqueio ou mesmo o repatriamento de recursos movimentados pelo publicitário.

¿ Ainda não tomamos nenhuma decisão sobre a contratação do escritório, mas precisamos avançar na investigação das demais contas de Duda Mendonça ¿ afirmou Serraglio.

O petista Rands considera que uma eventual ação judicial da CPI nos Estados Unidos poderá garantir que a comissão identifique finalmente a origem dos recursos que alimentaram o valerioduto:

¿ Na reta final das investigações, é fundamental que identifiquemos a origem dos recursos do valerioduto para que o nosso relatório seja o mais amplo possível ¿ observou.

Para convencer as autoridades americanas a tornarem disponíveis dados sobre a movimentação da Dusseldorf ¿ onde Duda admitiu ter recebido R$10,5 milhões do esquema de Marcos Valério ¿ a CPI preparou um alentado dossiê que inclui documentos apresentados pelo publicitário à comissão, assim como cópia de seus depoimentos na CPI, no Ministério Público e na Polícia Federal. Cópias desse dossiê deverão ser entregues nas reuniões que o trio de parlamentares marcou com os promotores distritais de Nova York, no Departamento de Justiça, em Washington; e no Fincen, espécie de Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) americano.