Título: SEM LULA, CÚPULA DEBATERÁ MIGRAÇÃO
Autor: Janaina Figueiredo
Fonte: O Globo, 03/11/2006, Economia, p. 21

Presidente não participa de encontro. Crise entre Uruguai e Argentina azeda clima em Montevidéu

MONTEVIDÉU. Com a inesperada ausência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e em meio a uma crise diplomática entre Argentina e Uruguai, começa hoje, em Montevidéu, a XVI Cúpula Ibero-americana, cujo tema será ¿Migração e desenvolvimento¿. A briga entre argentinos e uruguaios, desencadeada pela construção de duas fábricas de celulose na cidade uruguaia de Fray Bentos, na fronteira com a Argentina, azedou o clima do encontro que, a partir de hoje, reunirá cerca de 20 chefes de Estado.

As estrelas do encontro serão o Rei Juan Carlos, da Espanha; o chefe do governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero; e os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez e da Bolívia, Evo Morales.

Só na Espanha, vive 1 milhão de latino-americanos

A disputa entre Argentina e Uruguai estragou a festa dos anfitriões, que gastaram US$500 mil para melhorar a infra-estrutura de Montevidéu. Manifestantes das cidades argentinas de Gualeguaychú e Colón, que exigem a suspensão das obras das fábricas, anunciaram que vão bloquear as pontes que unem os países durante a cúpula. A empresa espanhola Ence, que construirá uma das fábricas, se comprometeu a suspender a obra de Fray Bentos, para tocar o projeto em outra cidade uruguaia.

¿ Eu disse isso desde o começo, com as pontes bloqueadas, não tem diálogo ¿ foi a reposta do presidente uruguaio, Tabaré Vázquez.

O presidente argentino Néstor Kirchner desembarcará hoje na capital uruguaia sem a menor intenção de tentar aproximar posições. Embora o conflito bilateral não seja parte da agenda da cúpula, o assunto certamente será discutido.

O drama dos imigrantes ilegais será o principal tema da cúpula. Só na Espanha, vivem 3,7 milhões de imigrantes ilegais, sendo mais de 1 milhão latino-americanos. No ano passado, o governo espanhol regularizou a situação de 600 mil estrangeiros, mas o problema ainda preocupa o governo de Zapatero, que pedirá aos demais países uma abordagem da questão ¿com um enfoque realista, prático e integral¿.

O Compromisso de Montevidéu também incluirá medidas para facilitar o envio de remessas. No ano passado, imigrantes latino-americanos enviaram a seus países de origem cerca de US$54 bilhões.