Título: CHINA: MAIS EMISSÕES QUE OS EUA JÁ EM 2009
Autor:
Fonte: O Globo, 08/11/2006, O Mundo, p. 32

Volume de gases-estufa aumentará em 55% até 2030, se nada for feito urgentemente

NAIRÓBI. A rápida industrialização da China fará com que o país ultrapasse os Estados Unidos em emissões de dióxido de carbono ¿ o principal gás de efeito estufa responsável pelo aquecimento global ¿ já em 2009, de acordo com relatório divulgado ontem.

A Agência Internacional de Energia (AIE) prevê que as emissões globais de dióxido de carbono aumentarão em 55% entre hoje e 2030 se nenhuma medida for adotada urgentemente por governos e consumidores.

A China responderá por 39% do aumento do dióxido de carbono porque suas emissões mais que dobrarão até 2030. Boa parte desse aumento ocorrerá em função da relutância da China em trocar a geração elétrica baseada numa matriz suja, que envolve a queima de carvão, por uma matriz relativamente mais limpa, com base no gás.

Com isso, a China ultrapassaria os EUA em volume de emissões uma década antes do previsto.

O fato de a China hoje ter um papel predominante no aumento das emissões dos gases-estufa é um dos maiores desafios da atual política ambiental global. Como país em desenvolvimento, segundo as regras fixadas pelo Acordo de Kioto, a China não é obrigada a reduzir suas emissões. Os signatários entenderam que os países hoje desenvolvidos construíram sua riqueza com base na queima de combustível fóssil e, por isso, eles devem pagar a conta.

Entretanto, a China foi o principal argumento usado pelos EUA para não assinar Kioto e se manter afastado das políticas globais de redução de emissões.

Segundo a AIE, os países em desenvolvimento responderão por três quartos do aumento das emissões de dióxido de carbono até 2030, ultrapassando o grupo dos países industrializados já em 2012.

A contribuição dos países em desenvolvimento para as emissões aumentará dos atuais 39% para 52%. Outros países da Ásia terão uma contribuição significativa para a elevação do percentual, sobretudo a Índia. ¿O aumento é muito rápido porque, em geral, eles estão usando mais carvão e menos gás¿, aponta o estudo da AIE.

Mas o economista-chefe da agência, Fatih Birol, saiu em defesa da China, dizendo que o país não pode ser penalizado por queimar combustível fóssil.

¿ Penalizar a China seria injusto ¿ afirmou Birol, logo após o lançamento do relatório. ¿ O carvão foi o combustível da revolução industrial no Reino Unido.

Volume de emissões per capita é 4 vezes maior

Apesar da previsão de que o volume absoluto de emissões dos países em desenvolvimento em breve ultrapassará o das nações ricas, o volume per capita é bem diferente. Por essa medição os países pobres continuam muito atrás: serão 3,5 toneladas por indivíduo contra nada menos que 11,9 nas nações ricas, em 2030.

A AIE fez um apelo à China e aos países em desenvolvimento para que façam adaptações em suas usinas de geração de energia, de modo a torná-las mais eficientes e, com isso, menos poluentes. Segundo o documento, adaptando suas usinas aos padrões ocidentais, o ganho seria enorme.