Título: Unidos contra o crime
Autor: Araújo, Dimmi e Magalhães, Luiz Ernesto
Fonte: O Globo, 23/12/2006, Rio, p. 14

Governadores do Sudeste prometem integrar a segurança pública na região

Os governadores eleitos dos quatro estados da Região Sudeste anunciaram ontem que vão criar um gabinete de gestão integrada de segurança pública. O órgão, que terá reuniões bimestrais, pretende unificar as informações do setor para facilitar o combate ao crime na região mais populosa e rica do país. O Estado do Rio vai participar desse gabinete regional com São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo. O governador eleito do Rio, Sérgio Cabral, disse ontem que haverá reuniões semanais entre a Polícia Federal e representantes da Secretaria de Segurança Pública.

Pela manhã, Cabral esteve com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, e com o diretor da Polícia Federal, Paulo Lacerda, na sede da instituição no Rio para combinar a retomada, ainda em janeiro, das reuniões do Gabinete de Gestão Integrada em Segurança Pública no estado. O órgão contará com representantes das forças policiais da União e do Rio e tem o objetivo de traçar estratégias conjuntas para o combate ao crime. Os encontros serão semanais e o primeiro deles já está marcado para o próximo dia 15.

A integração entre as forças policiais é prevista no Plano Nacional de Segurança Pública. O gabinete do Rio foi criado há quase dois anos, mas não estaria funcionando, segundo Sérgio Cabral. Ele acrescentou que a integração já obteve bons resultados no combate ao crime em outros estados, como no Espírito Santo e em Minas Gerais.

¿ A informação que recebemos do diretor-geral da Polícia Federal , delegado Paulo Lacerda, é de que o gabinete integrado não vem funcionando no Rio. É fundamental que o gabinete funcione. Segurança é integração, informação e cooperação ¿ disse Cabral.

Cabral e Bastos na primeira reunião

O governador eleito e o ministro pretendem participar da primeira reunião. Também estiveram no encontro de ontem o futuro secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, e Paulo Lacerda.

Márcio Thomaz Bastos afirmou que a cooperação também será importante para o planejamento da segurança dos Jogos Pan-Americanos de 20007 (13 a 29 de julho). Ele evitou críticas à equipe da governadora Rosinha Garotinho pelo fato de no Rio o gabinete não estar funcionando nas condições imaginadas.

¿ Tivemos momentos de maior e menor cooperação. O processo é lento e isso acontece também em outros estados ¿ disse o ministro.

Márcio Thomaz Bastos citou como exemplo de resultado na cooperação entre forças policiais no estado a prisão na semana passada de 78 PMs, após uma investigação conjunta da PF e da Corregedoria da PM. Os policiais militares são acusados de envolvimento na compra de armas, munição e drogas para traficantes, além de assassinatos e extorsões.

À tarde, Cabral recebeu na Fundação Getúlio Vargas, onde é coordenada a transição de governo, os governadores de Minas Gerais, Aécio Neves; do Espírito Santo, Paulo Hartung; e o governador eleito de São Paulo, José Serra. Os quatro fizeram questão de dizer que são amigos e que esta amizade vai ajudar em muito a melhoria das relações entre os governos estaduais.

O principal tema do encontro foi a segurança pública. Os quatro divulgaram uma nota conjunta de dez pontos que serão os princípios básicos que vão nortear o combate à criminalidade na região Sudeste. Entre as decisões tomadas está a da criação do Gabinete Integrado de Segurança Pública do Sudeste, que vai ter reuniões bimestrais.

O governador capixaba, Paulo Hartung, disse que já existe um gabinete integrado funcionando entre Minas e Espírito Santo, com bons resultados. Segundo ele, o fundamental é a troca de informações entre as forças de segurança. De acordo com o governador de Minas, Aécio Neves, representantes das polícias Civil e Militar de cada estado vão participar desses encontros.

¿ Temos que ter uma ação mais articulada contra o crime que não respeita fronteiras. Nessas reuniões, os policiais vão trocar informações entre si, nas áreas de segurança e penitenciária ¿ disse Aécio.

Além das reuniões, haverá troca de informações constantes entre servidores designados para trabalhar no gabinete. Mas, segundo os governadores, a estrutura será simples, com poucas pessoas responsáveis pelos dados, para evitar vazamentos. Haverá também investimentos em obras como postos de fronteira conjuntos para identificar pessoas e automóveis e também em sistemas informatizados para troca de informações.

A nota divulgada pelos governadores fala também em operações de grande porte conjuntas entre as polícias dos estados, ¿nas quais a força seja substituída pela inteligência¿, com o objetivo de ¿minimizar ou eliminar o uso de armas de fogo em prisões de delinqüentes¿. Eles também pretendem criar mecanismos que agilizem o cumprimento de diligências policiais de um estado no outro.

Os três governadores fizeram críticas indiretas à atual administração do Estado do Rio, de Rosinha Garotinho (PMDB), que é do mesmo partido do governador eleito. Os três consideraram o Rio um estado falido. Eles consideram de fundamental importância para o país a recuperação do Estado do Rio:

¿ Recuperar o Rio é um projeto nacional ¿ definiu Hartung, apoiado pelos outros.