Título: Gabeira critica aliada na Zona Oeste
Autor: Braga, Isabel; Tabak, Flávio; Menezes, Maiá
Fonte: O Globo, 09/10/2008, O País, p. 3

Sem saber que estava sendo ouvido, ele diz que vereadora Lucinha é "analfabeta política"

Cássio Bruno

Com a missão de conquistar o eleitorado da Zona Oeste para o candidato a prefeito do Rio pelo PV, Fernando Gabeira, a vereadora Lucinha (PSDB), a mais votada do Rio, reeleita com 68.799 votos, pode ser a pedra no sapato do deputado. Numa conversa ao telefone no estacionamento de um shopping em Bangu, na Zona Oeste, região onde teve um de seus piores desempenhos nas urnas, Gabeira - sem saber que estava sendo ouvido por repórteres - criticou duramente a aliada. Ao interlocutor, ele afirmou que Lucinha "está de salto alto" e "tem uma visão suburbana", referindo-se à polêmica construção do aterro sanitário de Paciência.

- A Lucinha está com salto alto. É uma analfabeta política. Tem uma visão suburbana e precária - esbravejou Fernando Gabeira, sem saber que estava sendo ouvido por repórteres de três jornais.

No fim da tarde, em frente ao prédio onde mora, em Ipanema, Gabeira ficou irritado ao saber que a conversa tinha sido ouvida:

- Eu fazia isso também quando era repórter, mas é invasão de privacidade. Quando uma pessoa está falando ao telefone, você (repórter) dá um tempo. Se colocar alguma informação do que você ouviu, eu vou desmentir... Eu declarei isso para você? Você diz, então, que me ouviu conversando ao telefone, que invadiu a minha privacidade e que está publicando (no jornal).

O aterro de Paciência é uma das alternativas a Gramacho, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que recebe a maior parte do lixo produzido no Rio e que está saturado. Os moradores da área são contra o projeto.

- Não tenho bronca nenhuma (da Lucinha). É a questão do lixão de Paciência. Não posso continuar com a questão do lixão sem uma solução. Temos que buscar uma solução para o impasse, que interessa a todos. Ela defende uma não solução. Ela defende que não seja construído aqui (Zona Oeste). Ela tem razão. Mas a gente precisa pegar o lixo, transformar em usina de energia e negociar a possibilidade de outras áreas - justificou Gabeira.

No primeiro dia de campanha no segundo turno, a vereadora Lucinha não apareceu no corpo-a-corpo de Gabeira no calçadão de Campo Grande. Procurada pelo GLOBO ontem, a vereadora não foi encontrada. Durante a caminhada, o candidato disse que o apoio da parlamentar seria fundamental para conseguir vencer o adversário, Eduardo Paes (PMDB).

- O que aconteceu na Zona Oeste é que não conseguimos levar o nosso trabalho a tempo. A nossa onda só chegou até Marechal Hermes. Mas acredito na vitória em todas as áreas, e a Lucinha é fundamental - disse Gabeira a jornalistas, antes de estes ouvirem sua conversa ao telefone. O candidato estava acompanhado do vice de sua chapa, Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB), e do deputado Paulo Pinheiro (PPS).

O candidato, por sua vez, não demonstrou qualquer preocupação com o apoio do PT a Eduardo Paes no segundo turno. E sugeriu também que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva faria bem em não subir no palanque do peemedebista.

- O presidente foi salvo de uma armadilha, de uma cilada. Ele sabe que eu vou ganhar e eles (PMDB e o Paes) iam atraí-lo para uma derrota, absolutamente desnecessária para o Lula - disse Gabeira.

Ele não se abalou com a aliança entre PT e PMDB. Para ele, o cidadão comum não se identifica com as decisões partidárias.

- Vejo com tranqüilidade. Terei a maioria dos votos dos eleitores do PT. Os eleitores do PT vão ficar do meu lado, e a direção do partido, do outro.

oglobo.com.br/pais/eleicoes2008