Título: NYT critica: presidente teflon
Autor:
Fonte: O Globo, 04/04/2009, Economia, p. 30

NOVA YORK. A aparição de Lula na cúpula do G-20 foi marcada por elogios da mídia estrangeira ao presidente brasileiro. Mas já há quem enxergue em seu comportamento sinais de desgaste político. Em artigo publicado na edição de ontem do jornal americano "New York Times", lembra que Lula "já foi chamado de presidente teflon", em referência a declarações feitas pelo ex-ministro Delfim Neto. Apesar da elevada popularidade, diz o jornal, com a forte desaceleração industrial e alta do desemprego, ele "pode estar exibindo algumas rachaduras em sua armadura aparentemente impenetrável".

O "NYT" lembra que pelo menos três pesquisas mostram uma recente queda em seus índices de aprovação. Também recorda a polêmica envolvendo comentários feitos na semana passada, quando atribuiu a crise econômica a "gente branca com olhos azuis". Para analistas ouvidos pelo jornal, o presidente pode ser acusado de racismo.

Se a tempestade econômica prosseguir, diz o "NYT" recordando que Lula uma vez classificou a crise como "uma marolinha", isso poderia atrapalhar sua capacidade de transferir a presidência em 2010 para sua sucessora escolhida, Dilma Rousseff, a ministra da Casa Civil.

A reportagem do "NYT" lembra, no entanto, o vídeo exibido pela britânica BBC em que o presidente americano, Barack Obama, diz que "Lula é o cara" e que "ele é o político mais popular da Terra". O vídeo também foi comentado no site da TV americana ABC. A emissora diz que Lula não é o "George Clooney" do G-20, mas que o diálogo mostra como o líder tem forte apelo político dentro e fora de casa.