Título: Embraer fecha contrato de US$ 1,3 bi com a FAB
Autor:
Fonte: O Globo, 15/04/2009, O País, p. 9

Empresa desenvolverá cargueiro, e expectativa é aquisição de 22 aeronaves; também há projetos com a Marinha.

A Embraer assinou ontem contrato com a Força Aérea Brasileira (FAB) para desenvolver um novo cargueiro militar com investimento estimado em US$ 1,3 bilhão. Embora o governo ainda não tenha formalizado uma encomenda, a expectativa da FAB e da empresa é a aquisição, pelas Forças Armadas, de 22 unidades da aeronave KC-390. Esses aviões substituiriam os C-130 Hércules, da americana Lockheed.

O presidente da Embraer, Frederico Curado, no entanto, disse que não serão realizadas contratações num primeiro momento.

A empresa teria mantido os funcionários necessários para tocar esses projetos quando demitiu cerca 4.200 funcionários (20% dos empregados), em fevereiro.

A previsão é que a linha de montagem e dois protótipos do KC-390 estejam concluídos em sete anos. Não foi revelado se a assinatura do contrato com a FAB implica em algum desembolso pelo governo já neste momento.

A empresa também não informou como vai financiar o desenvolvimento do projeto.

¿ Nossos projetos militares têm histórico de sucesso nas exportações.

Esse é mais um caso de extremo potencial de venda no mercado externo ¿ disse o vice-presidente da Embraer para a área de Defesa e governo, Orlando Ferreira Neto, durante a feira Latin America Aerospace & Defense (Laad-2009), no Rio.

O KC-390 representará uma segunda plataforma de exportação para a empresa e no segmento de Defesa. A Embraer tem sido bem-sucedida na comercialização do avião de treinamento e de ataques leves Super Tucano no exterior. Segundo a FAB, outros países já demonstraram interesse em participar do desenvolvimento do cargueiro.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, exaltou a importância que o cargueiro da Embraer terá para as missões da FAB em solo brasileiro, em especial na Região Amazônica. Segundo ele, o KC-390 terá capacidade para embarcar 19 toneladas e levar até 80 soldados armados.

Também ontem, a Embraer assinou acordo de US$ 140 milhões para modernizar 12 aviões da Marinha