Título: Dilma veta outra indicação de Sarney
Autor: Camarotti, Gerson
Fonte: O Globo, 13/02/2008, O País, p. 8

Ministra deixa claro que não abrirá mão de Flávio Decat para a Eletrobrás.

BRASÍLIA. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá de ser o árbitro na queda-de-braço nos bastidores do governo para iniciar o loteamento dos cargos das estatais do setor energético pelo PMDB. A cúpula do partido recebeu ontem o recado de que a chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, vetou a segunda indicação feita pelo senador José Sarney (PMDB-AP) para presidir a Eletrobrás: o ex-presidente da Eletronorte José Antônio Muniz. A ministra deixou claro que não está disposta a abrir mão da indicação para o cargo do ex-presidente da Eletronuclear Flávio Decat. O presidente Lula recebe hoje de manhã, no Planalto, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, para tentar resolver impasse.

- Pelo jeito, eletricidade não pega. Dá choque! - brincou o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, ao admitir os impasses nas negociações.

Ontem, o Planalto escalou Lobão para convencer Sarney a abrir mão da indicação de Muniz - o que seria a segunda derrota seguida do ex-presidente para Dilma, depois que Sarney emplacou Lobão no governo. Para fortalecer Decat, Dilma tem dito que ele foi indicado pelo governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ). O fato tem causado constrangimento na cúpula do PMDB, uma vez que Dilma já tinha vetado a primeira indicação de Sarney para a Eletrobrás, a do técnico Evandro Coura.

- Mesmo com o bambolê, a ministra Dilma não aprendeu a ter jogo de cintura. Ela bateu o pé em torno de Decat. Temos que encontrar uma solução - disse o líder do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves, numa referência ao presente que deu para a ministra em janeiro.

Outro problema do PMDB é a indicação feita pelo deputado Jader Barbalho (PMDB-PA) para a presidência da Eletronorte, a do atual diretor do Detran no Pará, Lívio Rodrigues de Assis. Levantamento da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) detectou problemas na ficha de Lívio, inclusive na Receita Federal e processos na Justiça em que ele aparece como réu. Lívio só será nomeado quando apresentar documentação de que tudo está regularizado.