Título: Dilma e Marina elogiam reajuste e veto
Autor: Berlinck, Deborah
Fonte: O Globo, 16/06/2010, O País, p. 12

Para petista, decisão manteve equilíbrio fiscal; verde recomendou corte de gastos. Serra não quis comentar

PARIS e SÃO PAULO. A decisão do presidente Lula de sancionar o reajuste de 7,7% para aposentados que ganham acima do salário mínimo, mas vetando o fim do fator previdenciário, foi elogiada pelas presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PV). Em Paris, Dilma disse que a decisão manteve o equilíbrio fiscal, ao vetar o fim do fator, e, por outro lado, levou em conta a situação dos aposentados:

- É uma decisão muito ponderada, muito correta. Mas, pelo que vi, ele (Lula) vai também fazer cortes compensatórios.

Quando os jornalistas lembraram que a decisão de Lula contrariou a equipe econômica, que defendia o veto ao aumento, Dilma respondeu:

- Mas ele é o presidente. Quem define no governo, e é sempre assim, é o presidente. O que eu sei (é que) o presidente ouvia todos os lados e decidia.

Sobre se ela, como presidente, tomaria a mesma decisão, Dilma respondeu:

- Eu tenderia por uma decisão que levasse em conta essas duas coisas: a questão da robustez fiscal, que não pode ficar por aí gastando por conta... Então ele foi correto em fazer o veto do fim do fator. Mas também levou em conta a situação dos aposentados e deu reajuste de 7,7%.

Senadora passou o dia em hotel, por causa de resfriado

A senadora Marina Silva (AC) também elogiou a decisão de Lula de sancionar o aumento de 7,7% e vetar o fim do fator previdenciário.

- Neste momento, precisamos fazer as escolhas certas entre o que se deve gastar justamente e decidir com sabedoria cortar os gastos menos necessários - disse, por e-mail.

Marina, que passou o dia ontem recuperando-se de um resfriado, num hotel em São Paulo, disse que Lula tomou a decisão correta:

- Conforme já havia me manifestado, acho que o presidente tomou a decisão mais correta ao aprovar o aumento aos aposentados e vetar a mudança no fator previdenciário. Era necessário começar a recompor o valor da aposentadoria para os que dedicaram seu esforço ao país.

Marina, porém, recomendou que a equipe econômica faça cortes nos gastos para que o governo possa pagar o reajuste e assim "seja responsável":

- Para viabilizar esse aumento, precisamos estabelecer prioridades e cortar gastos de menor qualidade. Por isso, é importante que a equipe econômica seja responsável ao fazer os cortes anunciados.

O candidato tucano à Presidência, José Serra, que assistiu no Rio ao jogo do Brasil, recusou-se a falar sobre a decisão e disse que comentaria hoje.

(*)Correspondente