Título: Gabinete inchado, mas quase vazio
Autor: Vaz, Lúcio
Fonte: Correio Braziliense, 15/09/2009, Política, p. 2

Na folha de pagamento, deputado maranhense dispõe de 20 funcionários no Congresso. Às 16h30 de ontem, apenas duas pessoas estavam na sala. Era ¿fim de expediente¿, segundo um assessor

Cadeiras vazias na tarde de ontem no gabinete de Davi Alves, do PDT maranhense, que é assediado pelo PR para mudar de partido

Com cerca de 20 funcionários na folha de pagamento, o gabinete do deputado Davi Alves (PDT-MA) estava quase vazio ontem, no meio da tarde. Restaram apenas a recepcionista e uma assessora. Estão na lista uma tia do deputado que mora no Maranhão, uma funcionária que trabalha no apartamento funcional do parlamentar e parentes de funcionários, alguns com altos salários. Às 16h30, o chefe do gabinete, Vasco Pereira, disse que a sala estava vazia porque era ¿fim de expediente¿.

Reportagem publicada ontem no Correio mostrou o assédio das principais lideranças do PR sobre o deputado maranhense. Durante audiência que oficializou a liberação de recursos do Orçamento da União para o reduto eleitoral de Davi, o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, comentou com o secretário-geral do PR, deputado Valdemar Costa Neto (SP): ¿Ah! É aquele negócio que tu me pediste?¿. Em seguida, olhou para Davi e acrescentou: ¿Rapaz, tu não tá nem no partido e já tá conseguindo arrancar as coisas daqui. Imagina quando estiver no partido, não é?¿. As conversas estão registradas em vídeo veiculado na página do Correio na internet.

A funcionária Francilurdes Siqueira do Nascimento, que recebe salário de R$ 7 mil no gabinete de Davi, foi encontrada pela reportagem no apartamento do deputado. Ela confirmou que recebe pelo gabinete, mas trabalha no apartamento funcional do parlamentar. Disse que não poderia dizer quanto ganha. Questionado sobre a situação funcional de Francilurdes, o deputado afirmou que ela trabalha em seu gabinete. Informado de que a funcionária atendeu o telefone no apartamento, comentou: ¿Deve ter sido num momento em que ela estava lá. Tenho parte do meu escritório em casa. Ela trabalha lá e aqui¿. Mas confirmou que a servidora tem salário de R$ 7 mil.

¿Tia de longe¿

Sobre a sua tia, Maria do Socorro Sousa e Silva, o deputado disse que seria uma ¿tia de longe, tia de terceiro grau¿. Afirmou que ela faz serviços de rua, com salário de R$ 1 mil, mas trabalha no Maranhão. Funcionários do gabinete afirmaram que, na prática, o chefe de gabinete é Edilson, que ocupa um cargo de natureza especial (CNE). Ele estaria no gabinete em desvio de função. Davi confirmou que Edilson ocupa um CNE, mas disse que seria apenas ¿um amigo¿. O meu chefe de gabinete é o Vasco Pereira.

Servidores do gabinete afirmaram também que as mulheres de Vasco e Edilson, Maria do Socorro e Tatiane, também estariam na folha de pagamento. O deputado confirmou que as duas trabalham no gabinete, mas disse que não sabia informar se eram mulheres dos servidores. Tatiane estava ontem no gabinete.

A Comissão de Ética da Presidência da República não quis se manifestar ontem sobre o vídeo que envolve o ministro Nascimento. Segundo afirmou o conselheiro Roberto Caldas, os integrantes da comissão não podem se pronunciar enquanto o caso não chegar ao colegiado. Mesmo depois que isso ocorre, não podem opinar enquanto não há uma decisão sobre o caso. Mas informou que os conselheiros podem abrir uma investigação por iniciativa própria, sem esperar pela formalização de uma denúncia. Disse que iria ler a reportagem para fazer uma avaliação.

Segundo técnicos da Corregedoria da Câmara, não haveria elementos para a abertura de investigação contra o deputado. As negociações de liberação de recursos do Orçamento da União para o Maranhão seriam parte da tarefa institucional do parlamentar, argumentaram os servidores. Não seria papel da Câmara avaliar o comportamento do ministro, que falou ao deputado sobre as vantagens de estar no PR. O 2º vice-presidente, ACM Neto (DEM-BA), corregedor da Câmara, chega hoje de viagem ao exterior.

Entrevista - Davi Alves

Em entrevista ao Correio, na última quinta-feira, o deputado Davi Alves (PDT-MA) falou sobre as atribuições dos funcionários do seu gabinete. Eram 20 na folha de agosto. Ele respondeu sobre a denúncia de que parentes dele e de funcionários trabalham no gabinete.

Deputado, sobre a Francilurdes, consta aqui, na folha de maio, um salário de R$ 7 mil. De qual o mês?

É de maio. Certo.

E qual é a atividade dela, a função dela no gabinete? Resolve várias atividades aqui no gabinete. Não tem nada especificado para cada um aqui. Quando um não está, o outro tem que preencher.

A Eliene, que é a esposa do motorista, do Erivan, que tem um salário alto também (R$ 4 mil), qual é a função dela? Ela trabalha aqui, faz todo tipo de trabalho, desde a elaboração de documentos até o acompanhamento de processos.

A Maria do Socorro Souza da Silva, que o senhor falou que é tia distante, não é? É. Ela faz essa questão de rua mesmo.

O salário dela é baixo, é R$ 1 mil. É, lá no estado.

É no estado que ela trabalha? Exatamente.

A esposa do Edilson¿ O Edilson é o chefe de gabinete, não? Não, o Edilson não é o chefe de gabinete aqui, não. O meu chefe de gabinete é o Vasco Pereira.

Quem é o Edilson? O Edilson é amigo meu.

Amigo seu, mas ele não é funcionário da Câmara? Ele é funcionário da Câmara.

É um CNE (cargo de natureza especial)? Isso.

A informação é que ele é um CNE (cargo de natureza especial), mas atua como chefe de gabinete. Não, não tem isso não.

A Tatiane Neves é esposa dele? Não sei te informar isso.

Consta aqui ela com salário de R$ 6 mil. Certo.

A Maria do Socorro Pinheiro de Melo, com salário de R$ 3 mil, é esposa do Vasco? Eu não sei. Na verdade, ela trabalha aqui comigo.