Título: Deputado tucano ligado a Cachoeira alega compromissos e não irá hoje à CPI
Autor: Sassine, Vinicius
Fonte: O Globo, 04/09/2012, O País, p. 6

Leréia já teve cassação do mandato recomendada por comissão da Câmara

BRASÍLIA Mesmo sob ameaça de cassação do mandato, em razão da proximidade confessa com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, o deputado federal Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO) continua ileso às investigações da CPI do Cachoeira no Congresso. O parlamentar iria depor hoje, na condição de convidado, mas já encaminhou ofício em que comunica sua ausência. Ao GLOBO, Leréia alegou "compromissos pessoais" em Goiás para justificar a falta. Até agora, a CPI ignorou as suspeitas que recaem sobre outros deputados ligados ao bicheiro.

- Recebi o comunicado da CPI só na última sexta-feira e pedi para remarcarem meu depoimento para depois do dia 18. Fui eu que pedi para falar, eu manifestei interesse, e por isso é um convite (sem obrigação de comparecimento). Quando comparecer, vou falar - disse Leréia.

O depoimento do deputado tucano seria o primeiro de hoje. Em 11 de julho, dia da cassação do mandato de Demóstenes Torres, uma comissão de sindicância da Corregedoria da Câmara recomendou a cassação de Leréia. O parecer do relator, deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), apontou os seguintes indícios de quebra do decoro parlamentar: Leréia e Cachoeira são sócios numa aeronave; o deputado usou o cartão de crédito do bicheiro; os dois trocaram mais de cem telefonemas; o bicheiro remeteu ao parlamentar "dinheiro enrolado em jornal"; o parlamentar influenciou uma troca de comando da polícia goiana; Leréia sabia das atividades de jogatina do amigo e o informou sobre grampos em curso na polícia; e o deputado manteria com o bicheiro uma suposta sociedade em terrenos.

O deputado Goergen pediu a cassação de Leréia. Cabe agora à Mesa Diretora remeter um pedido de abertura de processo ao Conselho de Ética. A Corregedoria absolveu outros dois deputados goianos suspeitos de ligação com Cachoeira, Rubens Otoni (PT) e Sandes Júnior (PP). Essa absolvição também precisa ser avaliada pela Mesa.

- O Conselho de Ética deve dar sequência ao processo, pois não existe só uma relação pessoal, de amizade, entre os dois. Houve quebra de decoro, e a CPI pode apurar se houve crime - afirmou Goergen.

A semana da CPI será praticamente perdida, com um único depoimento previsto para hoje: André Teixeira, denunciado pelo Ministério Público Federal de Goiás por participação na organização criminosa de Cachoeira, obteve ontem habeas corpus do Supremo Tribunal Federal (STF) para permanecer em silêncio.