Título: Dilma, com ACM Neto: parceria vai além de partidos
Autor: Talento, Biaggio
Fonte: O Globo, 06/04/2013, País, p. 6

Após criticar prefeito nas eleições, presidente o elogia em evento e anuncia verba para transporte em Salvador

Após se referir, ironicamente, à baixa estatura do prefeito ACM Neto (DEM), na campanha eleitoral de 2012, durante comício do candidato Nelson Pelegrino (PT), a presidente Dilma Rousseff mudou de tom, ao discursar ontem na inauguração da Arena Fonte Nova, em Salvador. Com o prefeito ACM Neto no palanque oficial, Dilma o cumprimentou e enfatizou a parceria entre governos federal, estadual e municipal, que "ultrapassa as divisões políticas, porque ela se dá em torno dos interesses da população de Salvador e da Bahia".

Na campanha de 2012, ao pedir voto para Pelegrino, que acabou derrotado, Dilma disse: "Aqui não pode ter um governinho, um governo pequenininho", referindo-se à "ameaça" de uma eventual vitória do então candidato do DEM. Agora, ACM Neto retribuiu os afagos, elogiando Dilma e o governador da Bahia, Jaques Wagner. Disse estar disposto a colaborar no que for possível nessa nova "parceria". ACM Neto defendeu a decisão de Wagner de demolir o Fonte Nova e construir no lugar uma arena multiuso.

Dilma aproveitou a grandeza da arena, para 50 mil torcedores, e exaltou obras de seu governo.

- Tenho uma palavra para sintetizar o impacto desse estádio: orgulho. Dá muito orgulho como presidenta da República olhar para este estádio e ver que nós estamos superando as expectativas. De fato, somos um país conhecido como sendo insuperável ali, naquele campo. Mas estamos mostrando que somos um país insuperável fora do campo - declarou, aplaudida pela plateia, formada por operários da obra.

Referindo-se ao aniversário de Salvador, que completou 464 anos em 29 de março, ela se desculpou por ter chegado "atrasada" para a festa e disse que desejava dar um presente: o anúncio de um pacote de R$ 1 bilhão para obras de mobilidade urbana na capital baiana (além de outro R$ 1 bilhão já anunciado para o metrô).

- É o projeto de vias estruturantes, formado por dois corredores com faixas exclusivas de ônibus que vão interligar o trecho urbano da rodovia BR-324 à Avenida Paralela - disse Dilma.

Dilma voltou a fazer as comparações do seu governo com o passado. Citou a Copa do Mundo de 1950, também no Brasil:

- Somos um país radicalmente diferente daquele. Somos uma democracia consolidada. Naquela época, à nossa frente ainda seriam anos terríveis de fechamento, de ditadura. Somos uma democracia que cresce e, diferentemente do passado, compartilha o fruto desse crescimento com seu povo. Uma democracia que respeita a diversidade, que é contra a discriminação.