Título: Prêmio Valor Social
Autor:
Fonte: Valor Econômico, 25/11/2005, Valor Especial / EMPRESA & COMUNIDADE, p. F1

Dezesseis empresas estão no páreo para disputar o troféu este ano

Em Fortaleza, uma empresa da área de crédito promove shows culturais e mostras de arte. Em Brasília, um laboratório de análises clínicas mima seus clientes com apresentações de música na sala de espera dos exames. Em Araxá, uma grande varejista de eletroeletrônicos usa os próprios caminhões para recolher material para reciclagem nas cidades onde atua. Esses são alguns exemplos de ações que as finalistas ao Prêmio Valor Social 2005 adotaram, que estão fazendo a diferença no dia-a-dia de suas gestões e trazendo resultados concretos, como o fortalecimento da marca, a melhora do bem-estar dos funcionários com conseqüente redução de custos com saúde e o aperfeiçoamento de suas relações com as comunidades em que se inserem. Nesta quinta edição do prêmio, a homenagem do Valor às empresas que são destaque por sua preocupação e investimentos em responsabilidade social, realizada com apoio técnico do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social e do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente, foram inscritos 146 trabalhos para concorrer nas categorias descritas ao lado. Esses documentos foram julgados por um corpo de acadêmicos (veja os nomes dos jurados na página F3) de universidades de diversos Estados, como São Paulo, Rio e Paraná. No ano passado, foram enviados 154 trabalhos. A próxima etapa contará com a opinião dos leitores do Valor, que são convidados, depois de avaliarem o programa de cada candidata, descrito neste caderno especial, a votar, pela internet, na empresa de sua preferência. A escolha poderá ser feita até o dia 14 de dezembro. Das seis categorias, foram selecionadas para a fase final duas empresas no quesito grande prêmio para as que atuam de forma socialmente responsável em várias frentes. Este ano, as escolhidas foram a Natura e a Perdigão. Duas também foram as companhias que vão disputar o prêmio na categoria respeito ao consumidor, uma de Fortaleza, a Oboé Crédito, Financiamento e Investimento, e outra de Brasília, o Laboratório Sabin de Análises Clínicas, que resolveu contratar 13 músicos para distrair seus pacientes. Na categoria ambiente de trabalho, as finalistas são Albras, fabricante de alumínio do Pará, a Lafarge e o Minas Tênis Clube. Todas essas companhias têm programas vitoriosos que melhoraram a saúde e a qualidade de vida de seus funcionários. No caso do clube mineiro, as iniciativas fizeram com que os colaboradores se sentissem um pouco como os próprios sócios da agremiação. Para a etapa final no quesito respeito ao meio ambiente ficaram também três empresas: CTE - Centro de Tecnologia de Edificações, de São Paulo, Grupo Zema, de Araxá (MG) e Vivo, do Rio. Studio Eletrônico (Campinas-SP), Embafort Indústria e Comércio de Artefatos de Madeira (Curitiba) e Mundo Verde Franquia (Petrópolis) são os nomes das que concorrem no item micro e pequena empresa. E na última categoria, relação com a comunidade, estão Grupo Pão de Açúcar, Banco Votorantim e Fabinject Indústria Plástica. Esta foi a categoria que mais inscrições recebeu este ano: 77. Respeito ao meio ambiente vem em segundo, com 27 trabalhos; ambiente de trabalho, com 21; respeito ao consumidor, com 11; grande prêmio, 6 e micro e pequena empresa, com 4 inscrições enviadas ao jornal em tempo hábil para avaliação. As vencedoras serão conhecidas no dia 20 de dezembro, numa cerimônia em São Paulo.