Título: Ibovespa atinge novo recorde após ata do Fed
Autor: Bianca Ribeiro
Fonte: Valor Econômico, 04/01/2006, Finanças, p. C2

A sinalização de que o ciclo de alta do juro básico americano está próximo do fim rendeu à Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) um novo recorde de pontuação no seu principal índice. O tom positivo dado pela ata da última reunião do Comitê de Mercado aberto (FOMC) do Federal Reserve, associado ao ânimo do pregão inaugural de Nova York em 2006, colaborou para aumentar o fluxo de investidores na ponta de compra. O Ibovespa fechou em alta de 3,08%, aos 34.540 pontos. Na máxima, atingiu 34.562 pontos. O giro somou R$ 2,442 bilhões. Os negócios locais ganharam impulso após a divulgação do documento do FOMC. "A declaração é bem explicita ao informar que a taxa de juro dos EUA se encontra agora próxima de um equilíbrio, ou seja, ela não está inibindo nem estimulando a atividade", diz Luís Fernando Lopes, economista chefe do Pátria Banco de Negócios. Diante da expectativa de que o juro pare de subir nos EUA, a leitura dos agentes é de que devem ficar ainda mais atraentes os investimentos de risco em países emergentes. Além do avanço apoiado no referencial externo, o quadro corporativo local também trouxe destaques, entre eles o anúncio da Companhia Vale do Rio Doce de que pretende fazer emissão de bônus no mercado internacional, para fazer frente à oferta de recompra de títulos da dívida com vencimento em 2013, de US$ 300 milhões. As ações PN subiram 4,22% (R$ 87,55) e as ON avançaram 3,96% (R$ 99,90). Na ponta de queda, estiveram das ações preferenciais da Gol, que caíram 5,34% (R$ 62) depois de o banco de investimentos Merrill Lynch ter rebaixado a recomendação para os papéis de "compra" para "neutra", alegando que a companhia é sólida, mas os papéis se valorizaram muito. Os American Depositary Receipts (ADRs) negociados nos EUA perderam 4,82% (US$ 26,85). Entre as maiores altas do dia, estiveram os papéis ON da TIM Participações, com aumento de 12,32% (R$ 7,20), seguidos de Telesp Celular Participações PN, que subiu 8,26% (R$ 9,69), e de Eletrobrás PN, em alta de 7,47% (R$ 43,15). Na ponta de inversa, as PN da Brasil Telecom recuaram 1,33% (R$ 10,31), Telemar PNA (-1,02%, a R$ 62) e AmBev PN (-0,55%, R$ 895).