Título: Governo investe R$ 38 milhões em campanha
Autor: Safatle , Claudia
Fonte: Valor Econômico, 09/10/2007, Política, p. A6

Começa no dia 16 e terá duração de dois meses a nova campanha publicitária do governo federal, com o slogan "Mais Brasil para mais brasileiros", que será lançada em todos os veículos da mídia ao custo de R$ 38 milhões.

A campanha terá início no rádio e a idéia, segundo o subchefe executivo da Secretaria de Comunicação Social do Governo Federal, Ottoni Fernandes Júnior, "não é bater bumbo para o governo federal e sim fazer uma prestação de serviços". Um dos objetivos dessa iniciativa, que terá caráter regional, será explicar como as pessoas, sobretudo das classes C e D, podem ter acesso ao universo de programas sociais do governo, do ProUni ao Bolsa Família.

Todas as cidades com população superior a 25 mil habitantes, o que envolverá cerca de 1050 emissoras de rádio, serão abrangidas pela campanha. "Pretendemos mostrar para a sociedade que os programas sociais têm efeito virtuoso na economia, geram negócios, mas têm também um caráter de mais solidariedade e mais justiça social", disse Ottoni. Assim, os filmes que serão exibidos na televisão, na última etapa da campanha, vão mostrar que ao ingressar num programa social do governo federal, o cidadão passa a acionar mais o comércio e os serviços da sua região, gerando um efeito multiplicador na economia.

Os filmes e os conteúdos que foram elaborados privilegiando o uso da linguagem regional foram submetidos ao presidente Lula há duas, que os aprovou. "Não há um, mas vários Brasis", sublinha Ottoni, explicando a opção por viés e linguagem mais próximo das diversas regiões do país.

Os dados da PNAD de 2006, divulgados no mês passado, apontam para um indicador que será usado na campanha e dirigido à classe média: este ano a venda de computadores superou a de aparelhos de televisão. Essa mudança ocorreu pela primeira vez e foi o resultado de medidas de desoneração de impostos para bens de informática, adotadas pelo governo.

Nos jornais, o governo trabalhará mais com pequenos anúncios e, segundo Ottoni, cerca de 8% da verba total será destinada à internet, com o propósito de atingir um público mais jovem.