Energias renováveis consomem menos água do que as convencionais. Em países do golfo Pérsico, encravados no deserto, projetos de energia renovável poderão reduzir a retirada de água para produzir energia em 20% em 2030. A demanda de água para energia poderá cair pela metade no Reino Unido, em mais de 25% nos Estados Unidos, Alemanha e Austrália em 15 anos, assim como ser menos 10% na Índia, com a geração de eletricidade a partir do sol e do vento.

Enquanto políticos no Brasil acreditam que Deus é brasileiro, fará chover e resolverá os graves problemas de energia e abastecimento de água no Sudeste, especialistas internacionais analisam os cenários de um novo conceito ambiental conhecido por Nexus. Trata-se da conexão entre os sistemas de água, energia e produção de alimentos no mundo, a base da estratégia contemporânea do desenvolvimento sustentável.

"Três fontes de recursos irão determinar a viabilidade da vida na Terra em poucas décadas: comida, energia e água", diz Adnan Z. Amin, diretor-geral da Irena, a agência intergovernamental que promove o uso de energias renováveis no mundo, baseada em Abu Dhabi. "Há uma relação muito clara entre energia e água. Energia renovável usa 200 vezes menos água do que as convencionais."

Pesquisadores da Irena lançaram ontem o relatório "Renewable Energy in the water, energy & food nexus". Em 2050, diz o estudo, a demanda por energia será 80% maior e a necessidade de água e comida, mais de 50% superior. Mas a capacidade de responder à demanda será cada vez mais difícil diante dos limites dos recursos naturais e da mudança do clima.

Atualmente, o fornecimento de energia responde por 15% do consumo global de água. A produção de alimentos responde por 30% do gasto global de energia e é o setor que mais consome água no mundo, diz Alvaro Lopez-Peña, um dos autores do estudo.

"O acesso aos recursos de água para a extração de combustíveis fósseis, seu processamento e geração de energia, é ponto-chave na segurança energética", diz Rabia Ferroukhi, conselheira de políticas da Irena e coordenadora do relatório. Da mesma forma, problemas com o fornecimento de energia afetam a segurança do abastecimento. Vulnerabilidades no fornecimento de água eenergia ameaçam a segurança alimentar.

Rabia Ferroukhi lembra que 1/3 da comida produzida no mundo é perdida. "Isso também significa perdas de água e energia."

Algumas energias renováveis, como eólica e solar produzida a partir de painéis fotovoltaicos, podem ser boas soluções para suprir a demanda de energia, água e alimentos, porque estressam menos os recursos naturais do que as energias à base de fósseis. Não é o caso, no entanto, de alguns biocombustíveis, que podem depender de bastante água.

A Associação Americana de Energia Eólica estima que em 2013 a produção de energia eólica nos EUA evitou o consumo de mais de 130 bilhões de litros de água, o equivalente ao consumo de mais de 320 mil casas. A Associação Europeia de Energia Eólica calculou uma economia de 387 bilhões de litros de água em 2012 (consumo anual de 3 milhões de casas).

A jornalista viajou a convite da Irena