Correio Braziliense, n. 19270, 28/02/2016. Política, p. 3

Lula cita Bumlai

Luiz Carlos Azevedo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o pecuarista José Carlos Bumlai ofereceu a reforma conduzida no sítio Santa Bárbara, no município de Atibaia (SP). A propriedade é alvo de investigação da Operação Lava-Jato como possível patrimônio oculto de Lula. A declaração foi feita em ação apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF), na sexta-feira.

Na ação, a defesa do petista diz que o imóvel em Atibaia foi comprado em 2010 pelo ex-prefeito de Campinas Jacó Bittar (PT), para que as famílias de ambos, amigos, pudessem “conviver”. A propriedade também serviria para Lula guardar os objetos recebidos do “povo brasileiro”. Posteriormente, o imóvel passou para o nome de Jonas Suassuna, e Fernando Bittar, filho de Jacó. Ambos sócios de Fábio Luis Lula da Silva.

No documento, a defesa alega que Lula “tomou conhecimento de que a reforma foi oferecida pelo Sr. José Carlos Bumlai, amigo da família, enquanto Fernando Bittar comentava sobre a necessidade de algumas adaptações no local”. Bumlai também é alvo da Lava-Jato. O sítio foi comprado por R$ 1,5 milhão em 2010. A suspeita é de que duas das empreiteiras, a Odebrecht e a OAS, tenham participado da reforma feita no ano seguinte, em troca de contratos com a Petrobras. Segundo a defesa, a compra do imóvel e reformas foram conduzidas por “particulares”.

Ontem, o Instituto Lula divulgou dois depoimentos prestados ao Ministério Público de São Paulo que ligam as obras a Bumlai. Ambos disseram ter sido empregados pela empresa Fernandes dos Anjos, por sua vez contratada pela empresa Usina São Fernando, pertencente ao pecuarista.

Os depoimentos foram divulgados junto a uma nota na qual o instituto explica que a ação ingressada no STF teve o objetivo de solicitar à Corte a definição de qual órgão deve investigar o sítio e o triplex no Guarujá — também alvo de investigação por suspeita de patrimônio oculto —, e pedindo que fique com o MP-SP, para evitar “conflito de atribuições”. A ação pede ainda a suspensão das investigações em curso contra o ex-presidente, que tem depoimento agendado para a próxima quinta-feira. O advogado de Bumlai, Arnaldo Malheiros, em entrevista à Folha de S.Paulo, minimizou a participação do cliente. Disse que ele atuou “só no comecinho”.

 

População acredita em culpa de Lula

Pesquisa Datafolha divulgada ontem mostra que a maioria da população acredita que o ex-presidente Lula foi beneficiado por empreiteiras investigadas na Lava-Jato. Dos 2.768 entrevistados, 58% acreditam que construtoras beneficiaram Lula em reformas no sítio em Atibaia (SP) e 62% acham que o mesmo ocorreu em um tríplex no Guarujá. As obras teriam sido feitas pelas empreiteiras OAS e Odebretch. A pesquisa foi feita entre 24 e 25 de fevereiro. Ainda assim, Lula segue citado (37%) como o melhor presidente que o Brasil já teve. Já Dilma, apresentou 64% de rejeição.