Correio braziliense, n. 20463, 31/05/2019. Política, p. 6

 

DEM quer distância do Centrão

Maria Eduarda Cardim

Rodolfo Costa

31/05/2019

 

 

A partir de discursos acalorados na convenção nacional do Democratas (DEM), o partido, que detém as presidências do Senado e da Câmara, sinalizou um distanciamento do Centrão e firmou uma imagem mais para a direita liberal. Os discursos de filiados da sigla, como o do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e do governador de Goiás, Ronaldo Caiado, foram de críticas aos governos do PT e de aceno a apoio ao governo Bolsonaro.

Lorenzoni deixou claro que falava como integrante do partido. “Estou aqui na condição de filiado do Democratas. Já assisti a várias fases do partido, e sempre o vi mantendo sua coerência, do lado da população. Foi o partido que mais lutou contra o PT”, disse. O ministro chegou a relembrar a época em que o presidente Jair Bolsonaro foi filiado ao DEM. “Nós temos na presidência um ex-filiado que olha para o nosso partido com imenso respeito e, por que não dizer, com um olhar de quem um dia gostaria de voltar para casa”, afirmou.

Apesar de afirmar que a sigla “não está formalmente dentro do governo”, o ministro da Casa Civil acredita que com diálogo a atual gestão vem vencendo todos os obstáculos. “Está aí a reforma administrativa aprovada. De maneira lenta, mas com paciência, fé e trabalho estamos vencendo todos os desafios do governo”, frisou.

Em resposta às manifestações de domingo, que tiveram como alvo o Centrão e alguns de seus integrantes, Ronaldo Caiado foi mais direto. “É hora de termos uma posição clara e apoiar o governo Bolsonaro. O Democratas não é mais ou menos. Temos norte e posição”, garantiu.

Antes do início da convenção, o prefeito de Salvador e presidente nacional do partido, ACM Neto, afirmou que tem compromisso com a agenda do país, independentemente de compor ou não uma base formal do governo. Durante seu discurso, no entanto, ele chegou a fazer críticas aos governos passados. “Essa crise foi produzida pelo PT e pelos que governaram irresponsavelmente o Brasil”, disparou.